Homens fazendo homens

To precisando muito desabafa sobre isso, tô com puta medo de perder meu filho.

2020.11.30 02:29 anacardoso008 To precisando muito desabafa sobre isso, tô com puta medo de perder meu filho.

Minha vida sempre foi conturbada, comecei a fazer programa quando tinha 15 anos pra sobreviver já que minha mãe faleceu quando tinha apenas 13 anos, fui criada pela minha tia que nunca teve uma vida boa. Trabalhava como ambulante na rua vendendo cervejas e coisas do tipo na caixa de isopor. Posso dizer que amadureci bem cedo, aprendi com a vida e passei por diversas situações que me modaram hoje. Nunca achei divertido ou prazeroso a prostituição, sempre sentir repulsa por ser um objeto, um fetiche de homens, estar sendo 100% submissa pra ter que viver.
Fiz muito programa com intuito de mudar de vida, no início antes de literalmente começar meu objetivo era ganhar dinheiro e parar só que quando cheguei lá meus planos "mudaram": Foi tudo um caos, trabalhava pra pagar homens que me atraia, trabalhava pra usar drogas, pra satisfazer minhas luxúrias. fiquei nessa até fazer meus 20 anos, até que conheci uma menina de 23 que tinha acabado de ter um filho( na época ele tinha 3 meses) era muito comum as meninas ter filhos muito mesmo, acho que 78% tem filhos. No bordel que frequentava uma vez só via crianças no meio da sala.
Fiquei um pouco próxima dessa menina ela me divertia bastante, ela era bem doidinha só que era extremamente viciada em crack, era um "disperdicio." Tinha pele clara como papel, cabelo liso castanho, olhos escuros: uma Barbie.
Como disse ela era bem doida deixou a criança lá em casa cmg e falou que voltava no dia seguinte só que a mesma só voltou 14 dias dps, com a cara mais sínica do mundo. Foi divertido tomar conta do bebê só que dps disso comecei a evitar ficar perto dela e da criança pra evitar que ela sumisse dnv ( tbm tava tentando mudar de vc)
Conheci um cara que ficou cmg por um tempinho ele era bem atencioso E RICO. ERa dono de uma loja que vendia carros usados. Uma hora ou outra ele iria enjoar de mim, então sabendo que ele tinha dinheiro como n sou trouxa comecei a tirar tudo que podia dele, nisso fiz ele financiar boa parte do meu AP ( já conhecia ele antes da doida.) Fiz ele mobilhar minha casa até que ele se cansou e vazou como já previsto. Tinha uma condição pra ele fazer isso tudo por mim: tinha que parar me drogar, fiz isso e graças a deus foi uma das minhas melhores escolhas.
Quando ele se foi continue fazendo vida pra terminar de pagar minha casa, fiz vida por mais um tempo até que decidi da o basta niss. Me afastando das más amizades, dos clientes, desse local podre, do clima, do meu passado. Arrumei um emprego como call center e com minhas economias abri um mercado. Me bati com Bianca na rua junto com a criança que já estava chegando nos seus 8 meses de idade e ela tava pior do que nunca: na rua seca e desnutrida feita cão com o bebê no colo pedindo esmola. Aquilo mexeu comigo então em nome dos velhos tempos levei ela pra casa
MEU BIG ERRO.
dois dias dps ela roubou meu iPhone, um notebook, o aparelho de dvd e um conjunto de colher da Tramontina. Essa nem foi a pior parte, a pior parte foi ela ter largado a criança sozinha em casa ( LARGADO CMG) eu fiquei desesperada sem saber oq fazer fui até o antigo bordel, fui atrás da família dela mas n achava nmg, nmg mesmo.
Eu literalmente n sabia oq fazer só ficava lá deixandoos dias passar e me consumindo tentando entender oq havia acontecido. Nisso se passou 3 meses e eu já tava criando apego com o Henrique apesar de estar sempre pensando na mesma coisa. Não tive notícias dela nos próximos 9 meses. Comecei a criar ele como se fosse meu, realmente ele era meu. Chamava de mamãe, levava pra creche, dava tudo, absolutamente tudo. Até que ela aparece na porta da minha casa exatamente acabada da mesma forma que estava perguntando com sinismo como eu tava, eu só comecei chorar de raiva e entrei sem saber oq ela falar, quando sair ela ainda estáva la. Cheguei largando o verbo perguntando oq tinha rolado mas ela n respondia minhas perguntas só falava coisa com com. ela ficou rindo perguntando do bebê, eu disse que ele estava na creche e que tava bem. Nisso ela me pediu dinheiro (500 reais) dei a ela e n não vi ela por mais 3 anos.
Eu sempre me sentir muito sozinha por ter perdido meus minha mãe muito cedo, por n ter tido amor de minha tia, por ser sozinha no mundo. Eu sou uma mulher trans e sempre ficava correndo atrás de amor de homem, eu queria muito ser amada de verdade por um homem.. e hoje eu sou!! Tenho meu homenzinho dentro de casa. Ele mudou minha vida me fez querer ser uma pessoa melhor, motivou, me fez ter amor próprio e aceitar que não precisava de homem nenhum apesar de ter um marido que mora cmg a 2 anos que tbm assumiu ele como filho.
Dps de 3 anos ela aparece aparentemente saudável e estável financeiramente perguntando sobre a criança, eu tive um choque, sentir um ódio tão grande que quase soquei a cara dessa puta desgraçada. Ela tá me forçando a da ele pra ela. Pediu pra ver ele e eu permitir e a mesma teve a ousadia de se apresentar como a mãe dele o Henrique estranhou e riu ( coisa de criança inocente mesmo) e veio falando que eu era a mãe dele. Um mês dps eu recebo ela dnv falando que quer pq quer o filho dela, entrou aqui na raça invadindo o quarto dele e pegando ele no colo saindo pela porta, eu fiquei tão s reação que palarizei com aquela cena. O triste é que se o Eduardo não aparece na ora eu e barra ela com um puta tapa na cara eu nem ia csg fazer nada, provavelmente seria a última vez que veria meu filho. Dps disso recebo uma solicitação no face com ela falando que vai até na justiça se for necessário.
eu tô surtando aqui, tô com tanto medo de perder meu bebê e nunca mais consegui ver aqueles olhos azuis, n passar a mão nos seus cachos. Nem tô conseguindo dormir direito pensando nisso.
Tô quase vendendo tudo e me mudando pra outro estado com ele sem ngm saber, acho que é inevitável eu perder ele se n fugir.
submitted by anacardoso008 to desabafos [link] [comments]


2020.11.28 17:20 Sabrine_Crystal_1992 Como era o corpo e a saúde das pessoas antes da revolucao industrial?

Como era o corpo e a saúde das pessoas antes da revolucao industrial?
E entao gente estou aproveitando esse domingo pra falar sobre esse assunto bem interessante.
Quem gosta de história e/ou é historiador vai ajudar bastante.
Voce já parou pra pensar como devia ser a saúde e o corpo de uma pessoa mediana na antiguidade e na idade média, principalmente as mulheres? Se considerarmos que naquela época nao existia comida industrializada, poluicao, a alimentacao era 100 por cento natural, as pessoas faziam naturalmente muita atividade física devido ao trabalho bracal e andavam muito porque nao existiam veículos e cavalos eram pra poucos ricos e a vida nao era preocupante e estressante como hoje em dia, dá pra deduzir que metabolicamente as pessoas eram muito mais saudáveis que hoje em dia nao? Parece meio óbvio.Excluindo as doencas infecciosas já que naquela época nao existiam vacinas e nem antibióticos, acredito que as pessoas eram mais saudáveis e tinham muito mais forca e mais vigor e mais preparo físico que as pessoas de hoje. E outra naquela época parece que apenas os ricos eram sedentários e comiam muito mas a maior parte da populacao tinha que ralar na agricultura e fazendo coleta e trabalho bracal. Entao a maioria das pessoas(incluindo mulheres) deviam ter um corpo bem atlético e durinho e definido nao? Nao estou falando de pessoas grandes e fortes.
Eu já assisti um vídeo em que um nutricionista e cientista famoso disse nessa entrevista que antigamente nao existia a Diabetes tipo 2 e o cancer quase nao existia também. Ele disse também que os alimentos de hoje em dia estao estragando a saúde e nem os alimentos naturais como carnes e frutas escapam por causa dos hormonios e das substancias químicas que os agricultores colocam.
Já li que a expectativa d evida é um calculo matemático e sei que a matemática é muito ilusória as vezes. Esse calculo é baseado na taxa de mortalidade infantil que se essa taxa abaixa a expectativa de vida do país aumenta e vice verca. Ela nao é calculada com base na saúde media das pessoas.
Naquela época era comum pessoas viverem muito tempo tipo passar dos 100 anos e com saúde? Sei que antigamente muita gente nem sabia a idade que tinha e também naquele tempo uma crianca podia levar várioa anos até ser registrada ao contrário de hoje em dia que quando um bebe nasce é registrado na hora. Por exemplo o imperador Romano Cesar viveu 75 anos segundo os livros de história. Mas por causa dessa característica ele podia ter vivido muito mais do que 75 anos de idade?
Eu li em um artigo que na Grécia antiga quando uma pessoa chegava aos 100/110 anos de idade faziam uma enorme festa pra essa pessoa. Era comum na Grécia Antiga as pessoas chegarem nessa idade? E se era comum porque o motivo de tanta comemoracao?
Falando nisso se comparar um idoso de 75 anos mediano de hoje em dia com uma pessoa da mesma idade na antioguidade e na Idade média qual seria mais saldável baseado no que eu disse?
Outro cuidado que precisamos ter é a expectativa de vida. Ela é um calculo matemático e a matemática apesar de ser uma ciencia exata pode levar a muitas distorcoes e muitos enganos. Por exemplo já li em livros de história que no século 19 a expectativa de vida era de apenas 40 anos. Mas quando eu era mais novo ficava pensando:" isso quer dizer que a maioria das pessoas morriam quando chegavam na faixa dos 40 anos...???" Eu via muitas fotos de pessoas idosas de pensava "As pessoas antigamente chegavam aos 40 anos velhas desse jeito e hoje em dia as pessoas tem aparencia mais jovem?". Mas depois pesquisei que a expectativa de vida nada mais era que um calculo matemático e muitas vezes nao refletia a realidade e o que matava mesmo eram doencas bacterianas e virais já que naquele tempo até mesmo uma febre podia ser fatal, daí a expectativa de vida relativamente baixa. Mas nao significa que biologicamente as pessoas envelheciam mais cedo. E falando nisso também li que antigamente os homens viviam mais que as mulheres.
Voltando a falar da Grécia Antiga eu li em um livro de história que os gregos eram obsecados pela forma física e pelo corpo atlético até mais que os praticantes de academia hoje em dia. Pelo estilo de vida deles isso pode ser verdade sim nao apenas por causa dos jogos olímpicos mas também por que naquele tempo a vida das pessoas devia ser muito simples e esses caram passavam amior parte do tempo malhando eu creio.
Agora vou falar das mulheres. As mulheres antigamente tinham corpos musculosos e sarados e sem peito como a Kassandra do jogo Assassins Creed Odyssey?(usei o jogo pra ajudar a criar esse tópico)
Quando minha avó era viva ela disse que antigamente as mulheres nao tinham celulite. Se la disse é porque era verdade nao tinha porque ela mentir.
Essa é a Kaasandra do jogo:

https://preview.redd.it/6gaqtq19b0261.jpg?width=1280&format=pjpg&auto=webp&s=999feb8f27748c296b10b69d79871eedefcc6724

https://preview.redd.it/vkvx4l5gb0261.jpg?width=736&format=pjpg&auto=webp&s=eb72367fb0f59ddb7eaf7ca16354771ecf77c682
https://preview.redd.it/ht8k3oqwb0261.jpg?width=1920&format=pjpg&auto=webp&s=0f4aff18d0fe62b1fa0ca670df2434e36da57c1c

A maioria das pessoas tinha o corpo parecido com as estátuas da grécia antiga ou na verdade significava que esse trabalho artistico queria dizer que quase ninguém tinha aquele corpo naquela época?
A pessoa mediana nos tempos antigos era muito magra com estrutura óssea estreita e eram muito baixos? Ou eles tinham mais massa muscular e mais massa óssea que hoje em dia?
submitted by Sabrine_Crystal_1992 to brasil [link] [comments]


2020.11.28 11:52 Fefolita Menstruação para homens adolescentes e jovem adultos

Sou uma mulher de 24 anos que só convive com homens. Aqui em casa tenho irmão adolescente e meu pai. No trabalho só homens. E tem também meu namorado. E até meu cachorro é macho. Com isso percebo que esses homens ao meu redor pouco sabem sobre menstruação e como ajudar uma mulher. Segue alguns fatos e como ajudar uma mulher nesse periodo:
É isso. Espero que de alguma forma tenha ajudado a tirar algumas dúvidas e curiosidades.
submitted by Fefolita to sexualidade [link] [comments]


2020.11.28 00:00 altovaliriano O Stark em Winterfell - Bran e o Rei Pescador

Texto original: https://asoiaf.westeros.org/index.php?/topic/125401-the-winged-wolf-a-bran-stark-re-read-project-part-ii-asos-adwd/page/3/&tab=comments#comment-6823505
Autor: SacredOrderOfGreenMen / float-freely-forever
O texto abaixo é uma tradução.
-----------------------------------
ASOIAF tem sido chamada de "uma carta de amor à democracia" pela forma como critica impiedosamente o feudalismo e a monarquia e por (aparentemente) não dar a nenhum rei um POV (apenas a duas rainhas), ao mesmo tempo em que apresenta todos os homens que são capazes de sentar no trono ou usar uma coroa como sendo, em última análise, indignos. Há Robert Baratheon, o Rei Devasso; seu sucessor, o rei Joffrey, cuja reivindicação foi baseada em uma mentira e mostrou-se ineficaz e inadequado ao papel de todas as formas possíveis; Viserys, o Rei Pedinte, seu pai Aerys, o Rei Louco e muitos outros. Renly, Stannis, Balon, Euron. Todos ficam aquém ou falham.
O feudalismo é exibido como uma ordem social inerentemente violenta, supérflua e repugnante em quase todos os aspectos. Todos os aspectos, exceto um: os Starks, e em particular a narrativa da realeza mágica que existe em torno de Bran.
"O Stark em Winterfell" é a encarnação do Rei Pescador em ASOIAF, uma figura lendária da mitologia inglesa e galesa que está espiritual e fisicamente conectado à terra, e cujas fortunas, boas e ruins, são espelhadas no reino. É uma história que, ao contar como o rei é mutilado e depois curado pelo poder divino, valida essa monarquia. O papel de "O Stark em Winterfell" é feito para ser o que seu criador, Brandon o Construtor, foi: uma fusão de opostos aparentes – homem e deus, rei e vidente verde, e o monólito que é seu assento é tanto castelo quanto árvore, uma "monstruosa árvore de pedra" (AGOT, Bran II).

"Era diferente quando havia um Stark em Winterfell"

Um ditado que existe na família é invocado por Ned e Catelyn em AGOT quando da viagem para o Sul: "Tem de haver um Stark em Winterfell sempre".
Por que? Quando falada, a frase é entoada, quase como um leigo medieval da Igreja Católica a repetir uma oração em latim, não entendendo completamente o que as palavras significam, mas sabendo que elas são importantes de alguma forma.
Outras Grandes Casas não vivem com essa restrição: Jon Arryn esteve ausente do Vale por grande parte de 14 anos, sem uma data clara para voltar [...]. Nestor Royce era seu regente. Um primo distante de Tywin Lannister, Damion, é deixado para governar, e ninguém parece particularmente preocupado que nenhum Lannister do ramo principal vivesse lá. Doran Martell prefere governar a partir dos Jardins de Água.
É o Liddle que Bran encontra nas montanhas do Norte que nos dá a razão mais clara e explícita do porquê sempre deve haver um Stark em Winterfell:
Quando havia um Stark em Winterfell, uma donzela podia percorrer a estrada do rei usando o vestido do dia de seu nome e nada sofrer, e os viajantes encontravam fogo, pão e sal em muitas estalagens e castros. Mas agora as noites são mais frias, e as portas estão fechadas. (ASOS, Bran II)
Até certo ponto, Bran também já havia articulado isto:
Já tinha idade suficiente para saber que não era realmente por ele que gritavam… Era a colheita que festejavam, Robb e suas vitórias, o senhor seu pai e o avô e todos os Stark desde há oito mil anos que aclamavam. Mas, mesmo assim, aquilo fez com que inchasse de orgulho. (ACOK, Bran III)
Quando há um Stark em Winterfell, a terra é pacífica e o povo não morre de fome. Ter um Stark em Winterfell é, por definição, ter uma boa senhoria. O fato de que os nortenhos dependem dos Starks para sua própria sobrevivência está implícito para muitos de seus vassalos, e muitas vezes são as Casas que traçam sua própria existência a eles que são os mais fanáticos em sua lealdade.
Lyanna Mormont, cuja Casa recebeu terras de Rodrik Stark raivosamente rejeita as exigências de Stannis por lealdade, escrevendo: "A Ilha dos Ursos não reconhece nenhum rei que não o Rei do Norte, cujo nome é STARK."
Outra jovem senhora do Norte, Wylla Manderly vocifera contra as mentiras de Freys sobre Robb e do desagravo (fingido) de seu pai: "os lobos nos acolheram, nos alimentaram e nos protegeram contra nossos inimigos. [...]. Em troca, juramos que seríamos sempre homens deles. Homens dos Stark!“ (ADWD, Davos III)
Bran nos diz em AGOT que, nos Clãs das Montanhas (entre outros), "quando a neve caísse e os ventos gelados uivassem do norte, [...] os agricultores deixariam seus campos congelados e fortificações distantes, carregariam suas carroça" e se refugiaram na vila de inverno de Winterfell. Quando os homens dos clãs dizem a Asha que eles preferem que seus "homens morram lutando pela garotinha de Ned do que sozinhos e famintos na neve, chorando lágrimas que vão congelar em suas bochechas" também é provável que estejam fazendo uma tentativa desesperada de recuperar seu refúgio.
Por conta da vila de inverno, ser o Stark em Winterfell é um cargo imensamente importante que não tem equivalente em nenhum outro lugar. Significa ser um governante prático que conhece seus súditos intimamente e que cuida deles quando o inverno chega – algo que eles recordam constantemente. Ned pratica isso em seu próprio governo em Winterfell:
O pai costumava dizer que um senhor devia comer com seus homens se esperava conservá-los. Arya um dia o ouviu dizer a Robb: “Conheça os homens que o seguem e deixe que eles o conheçam. Não peça aos seus homens para morrer por um estranho”. Em Winterfell, havia sempre um lugar extra à sua mesa, e todos os dias um homem diferente era convidado a juntar-se a eles. (ACOK, Arya II)
Na mitologia da Europa Ocidental, (tendo em conta que a Europa Ocidental é a principal inspiração de GRRM para Westeros), há um conjunto de lendas sobre o chamado Rei Pescador. O Rei Pescador, também conhecido como o Rei Mutilado ou Rei Ferido, contém dentro de sua linhagem o rei bretão Arthur e o rei galês Bran, o Abençoado.
Para os ingleses, o Rei Pescador é um dos guardiões do Santo Graal. Ele foi ferido ou mutilado e, como resultado, é infértil, e é sustentado apenas pelo poder do Graal. Por sua vez, sua terra se torna infértil e estéril também, e o único alimento possível ali é peixe, daí vem seu nome. Em algumas versões, o pai é o Rei Ferido e seu filho é o Pescador. O usuário do Tumblr theelliedoll analisa essa conexão, escrevendo em seu metatexto:
O sentido do Rei Pescador como um personagem mítico não é tanto as particularidades de seu caráter ou mesmo de sua lesão, mas o simples fato de que sua aflição (sexual) é transferida para suas terras. O mito pressupõe assim uma conexão mística, inextricável e empática entre rei e reino que exige do rei uma virilidade potente e generativa, e assim o mito funciona como a narrativa simbólica que articula uma ideologia dominante no poder [da Europa Medieval, a inspiração de Westeros para GRRM]. Essa ideologia de poder é a ideia da divindade do rei, que é em si inseparável das noções de herança e primogenitura.
O mito do Rei Pescador funciona então simplesmente como uma estratégia de legitimação da autoridade real e, consequentemente, de uma monarquia cada vez mais absolutista, percebida (e culturalmente representada) como a única forma imaginável de governo.
O Stark em Winterfell é o equivalente de ASOIAF ao Rei Pescador, cujas infortúnios pessoais são espelhadas na própria terra. Há pelo menos dois casos na história em que o Rei do Inverno é referido como "O Stark em Winterfell" [no Brasil, traduzidos como “Stark de Winterfell”]:
"O Stark de Winterfell queria a cabeça de Bael" (ACOK, Jon VI)
"O Stark de Winterfell teve de dar uma mão [para parar a rebelião na Patrulha da Noite]” – (ASOS, Jon VII)

"Ele é o jovem Rei Arthur" - GRRM, sobre Bran

Há um personagem, na narrativa, que é chamado por outros e chama-se Stark em Winterfell: Bran, filho de Lorde Eddard e Lady Catelyn:
Sou o príncipe. Sou o Stark em Winterfell.
É o Stark em Winterfell, e o herdeiro de Robb. Tem de parecer principesco – juntos, vestiram-no de forma condizente com um senhor.
Era um Stark em Winterfell, filho do seu pai e herdeiro do irmão e quase um homem-feito.
-(ACOK)
E que também detém os intimamente associados títulos de príncipe e herdeiro de Winterfell:
Ele era o Príncipe de Winterfell, filho de Eddard Stark, quase um homem-feito e, além disso, um warg
"também é o nosso príncipe, o filho de nosso senhor e o verdadeiro herdeiro de nosso rei" (Meera para Bran)
Jojen fitou-o comseus olhos verde-escuros. – Não há nada aqui que nos faça mal, Vossa Graça.
Ele é o nosso príncipe. -(Meera para Samwell Tarly)
De noite, todos os mantos são negros, Vossa Graça. -(Jojen para Bran)
A história de Bran também é muito semelhante à encarnação galesa do Rei Pescador: Bran, o Abençoado, que lutou contra um exército de guerreiros mortos-vivos (wights) que foram continuamente revividos por um caldeirão mágico (O Coração do Inverno). Seu meio-irmão, (Jon Snow) se esconde entre os mortos após uma batalha a fim de ser jogado no caldeirão (Jon, veja bem, poderia muito bem estar dentro de Fantasma, cujo nome foi a última palavra que ele falou, e a Patrulha da Noite poderia muito bem ter entrado em colapso agora, sem falar na própria Muralha) e ser capaz de destruí-lo , mas morre no processo. Ele tem um nome muito semelhante a um dos outros títulos do Rei Pescador: o Rei Ferido. A história o chama, e ele chama a si mesmo, repetidamente, de "quebrado".
apenas quebrado. Como eu, pensou.
Bran – ele falou, sem vontade. Bran, o Quebrado. – Brandon Stark. – O menino aleijado.
mas quem se casaria com um garoto quebrado como ele?
Através das brumas dos séculos, o garoto quebrado só podia observar.
O sofrimento de Bran por causa de sua mutilação e a própria Winterfell estar "quebrada" estabelece uma ligação empática entre rei e reino.
GRRM disse o seguinte de Tolkien, quem ele admira:
O Senhor dos Anéis tinha uma filosofia muito medieval: que se o rei fosse um bom homem, a terra prosperaria. Olhamos para a história real e não é assim tão simples. Tolkien pode dizer que Aragorn se tornou rei e reinou por cem anos, e ele foi sábio e bom. Mas Tolkien não faz a pergunta: qual era a política fiscal de Aragorn? Ele manteve um exército permanente? O que ele fazia em tempos de inundação e fome?
-GRRM também implicitamente fez a pergunta: Como os seres humanos, que são falhos e mortais, podem virar monarcas perfeitos, como o Rei Pescador deveria ser? A história de Bran, entrelaçada com a de seu antepassado Brandon, o Construtor, é sua resposta a essa pergunta. Desde o início, os Starks foram preparados pelos Deuses Antigos. A lenda westerosi diz que o Construtor teve a ajuda de gigantes, e usou a magia dos Filhos da Floresta para construir a Muralha. Quando Catelyn olha nos olhos da árvore-coração de Winterfell, ela pensa que eles são "mais velhos do que Winterfell. Se as lendas eram verdadeiras, tinham visto Brandon, o Construtor, assentar a primeira pedra; tinham visto as muralhas de granito do castelo crescer à sua volta. (AGOT, Catelyn I)
Jon Snow, outro que não é um Stark pela linha masculina, tem pesadelos em que as Criptas "não são seu lugar" e recusa a oferta de Stannis para ser o Senhor quando ele percebe, "o represeiro era o coração de Winterfell... mas para salvar o castelo, Jon teria de arrancar esse coração até suas antigas raízes e entregá-lo ao faminto deus de fogo da mulher vermelha. Não tenho o direito, pensou. Winterfell pertence aos deuses antigos" (ASOS, Jon XII)
Quando Rickon levou os Walders para as Criptas, Bran ficou furioso: "Você não tinha o direito! [...] Aquele lugar é nosso, dos Stark!
Não é por acaso que os contos sugerem que a árvore-coração, "o coração de Winterfell" é dito ter testemunhado o trabalho do Construtor. Na verdade, no Norte, a árvore-coração é usada como testemunha para votos de todos os tipos, incluindo casamentos e contratos. Ramsay e "Arya" dizem seus votos em frente a uma árvore-coração, e Jojen diz a Bran que os filhos da floresta não tinham "nem tinta, nem pergaminhos, nem linguagem escrita. Em vez disso, tinham as árvores, e os represeiros acima de tudo”.
Juntando o que aprendemos sobre a história da Casa Stark em O Mundo de Gelo e Fogo, pudemos ler como o crescimento de seu domínio não era só reflexo do crescimento de Winterfell "ao longo dos séculos como se fosse uma monstruosa árvore de pedra", mas que havia um propósito mais profundo para as guerras que eles travaram. Eles mataram o warg Gaven Greywolf na "Guerra dos Lobos" e o Rei Warg da Ponta do Dragão Marinho, matando seus vidente verdes e levando suas filhas como prêmios.
Estes podem ter sido os eventos históricos que levaram Haggon a dizer: "Ao sul da Muralha, os ajoelhadores nos caçariam e nos matariam como porcos..". Theon Stark, o Lobo Faminto, matou o Rei Marsh e casou-se com sua filha, e é comum rumores de que os crannogmanos se casaram com os Filhos da Floresta. Com base na visita de Howland à Ilha das Faces e ao status de Jojen como um sonhador verde podemos supor que eles têm estreitas conexões com a magia do Deuses Antigos, tenham se casado ou não.
A razão para essas guerras contra outros praticantes da magia do Norte remonta a Brandon o construtor, que eu vou supor também foi o Último Herói, uma vez que foram Winterfell e a Muralha que conseguiram alcançar o que o Último Herói estava determinada a fazer:
E assim, enquanto o frio e a morte enchiam a terra, o último herói decidiu procurar os filhos da floresta, na esperança de que sua antiga magia pudesse reconquistar aquilo que os exércitos dos homens tinham perdido.
Isso remonta a um grande pacto que ele fez com os Filhos há 8000 anos: em troca da ajuda mágica destes, de ser o único legítimo possuidor dessa magia, e ter o mandato para conquistar o Norte, o Construtor e seus descendentes dariam sacrifícios aos Deuses Antigos, preservariam seus represeiros e manteriam os Outros à distância. Todo o propósito do lema da Casa Stark é expresso em "O Inverno está Chegando". Não é um vanglória – como é comumente observado –, é algo mais. É uma justificativa para o direito deles de governar. Ao absorver a magia no sangue do Rei Warg e do Rei Marsh, os Reis do Inverno estavam agindo conforme o pacto. Assim como o Rei Pescador, ou seja, o Rei Arthur, protegeu o Santo Graal, também os Starks mantêm a árvore-coração, tirando dela poder e legitimidade.
É muito provável que o próprio Construtor tenha sido um vidente verde, fundindo-se com a árvore-coração como parte de seu pacto com os Deuses Antigos para se tornar o primeiro Stark em Winterfell. "Bran" significa "corvo" em galês e Corvo de Sangue diz a Bran que as mensagens foram enviadas por corvo entrando-se na pele deles:
Foram os cantores quem ensinaram aos Primeiros Homens a enviar mensagens por corvos... mas, naqueles dias, as aves podiam dizer as palavras. As árvores se lembram, mas os homens esquecem, então agora escrevem a mensagem em pergaminho e amarram em volta da perna da ave com quem nunca compartilharam a pele. (ADWD, Bran III)
Isso não é um acidente, pois GRRM afirmou que os nomes de seus personagens foram escolhidos com "uma boa quantidade de reflexão". Apenas dois indivíduos na narrativa tem a capacidade confirmada de entrar na pele de corvos, e ambos são vidente verdes. Dizem que os reis da Era dos Heróis – o Construtor entre eles – viveram por centenas de anos, exatamente o que os verdes fazem, usando os represeiros como uma espécie de aparelho de manutenção sobrenatural da vida na velhice. Jojen aprofunda nossa compreensão do papel dos represeiros quando diz:
Quando
[os cantores e vidente verdes]
morriam,
entravam na floresta,
em uma folha, um galho ou uma raiz,
e as árvores se lembravam
Todas as suas canções e feitiços, suas histórias e orações, tudo o que sabiam sobre esse mundo. Os cantores acreditam que os represeiros são os antigos deuses.
Quando cantores morrem, eles se tornam parte dessa divindade.
(ADWD, Bran III)
Se o Construtor era de fato um vidente verde, e a árvore-coração de Winterfell seu repouso final (lembre-se daquela lagoa preta bacana ao lado, que ninguém nunca tocou o fundo) – como há fortes evidências de que ele seria – então isso significa que a jornada de Brandon esteve, desde o início, sob o olhar direto de seu ancestral. Quando Bran fala pela primeira vez da árvore-coração, ele diz que "sempre o assustara; as árvores não deveriam ter olhos, pensava Bran, nem folhas que se parecessem com mãos”.
À medida que o preparo de Bran como herdeiro do Construtor continua, ele cai cada vez mais sob sua influência, atraído pelos represeiros cada vez mais, especialmente para a árvore-coração:
Bran sempre gostara do bosque sagrado, mesmo antes, mas nos últimos tempos achara-se cada vez mais atraído para lá. Até a árvore-coração já não o assustava como antes. Os profundos olhos vermelhos esculpidos no tronco claro ainda o observavam, mas, de algum modo, agora tirava conforto disso. Os deuses olhavam por ele, dizia a si mesmo, os deuses antigos, deuses dos Stark, dos Primeiros Homens e dos Filhos da Floresta, os deuses do seu pai. Sentia-se seguro à vista deles, e o profundo silêncio das árvores o ajudava a pensar. Bran passara a refletir muito desde a queda; a refletir, a sonhar e a falar com os deuses. (ACOK, Bran VI)
Era uma árvore estranha, mais esguia do que qualquer outro represeiro que Bran tivesse visto e desprovida de rosto, mas pelo menos fazia-o sentir que os deuses estavamali com ele (ASOS, Bran IV)
A árvore-coração em Winterfell viu a colocação da primeira pedra, e foi no Bosque Sagrado que Bran fez sua última escalada sobre as paredes de Winterfell. Verão notavelmente uivava com medo, como se sentindo que algo terrível estava prestes a acontecer do mesmo jeito que Vento Cinzento fizera nas Gêmeas:
Estava no meio da árvore, deslocando-se com facilidade de galho em galho, quando o lobo se pôs em pé e começou a uivar.
Bran olhou para baixo. O lobo calou-se, olhando-o através das fendas de seus olhos amarelos. Um estranho arrepio o atravessou, mas recomeçou a trepar. Uma vez mais o lobo uivou.
Quieto – gritou. – Senta. Fique. Você é pior que a minha mãe – os uivos seguiram Bran até o topo da árvore quando, por fim, saltou para o telhado do armeiro e para fora de vista.
Os Deuses Antigos (e Corvo de Sangue) estão fortemente implícitos em ter previsto seu destino, assim como Summer sentiu. Eles têm inteiramente a intenção de que ele desempenhará seu papel na saga e cumprirá o pacto, quer ele queira ou não:
– Muito dele se transformou em árvore – explicou a cantora que Meera chamava de Folha. – Ele viveu além de seu tempo mortal e, ainda assim, permanece aqui. Por nós, por você, pelos reinos dos homens. Apenas uma pequena força permanece em sua carne. Ele tem mil olhos e um, mas há muito para ver. Um dia, você saberá.
Observei-o por um longo tempo, observei-o com mil olhos e com um. Vi você nascer, e o senhor seu pai antes de você. Vi seus primeiros passos, ouvi sua primeira palavra, fiz parte de seu primeiro sonho. Estava observando quando caiu. E agora finalmente você veio até mim, Brandon Stark, embora a hora seja tardia.
(Bran II e III, ADWD)
A resposta da GRRM à pergunta "Como pode um mortal se tornar um rei perfeito?" é evidente na narrativa de Bran: Apenas tornando-se algo não completamente humano, tendo características divinas e imortais, como a um represeiro, fundidas em seu ser – e, portanto, tornando-se mais ou menos do que completamente humano, dependendo de sua perspectiva.
Este é o único tipo de monarquia ao qual GRRM confere legitimidade, do tipo onde o rei sofre em sua jornada e é quase desumanizado pelo bem de seu povo. O Último Herói (o Construtor) em sua busca pelos Filhos, viu todos os seus 12 companheiros morrerem. Jojen agora está perto da morte, e diz a Bran que:
[…] Terra e água, solo e pedra, carvalhos, olmos e salgueiros, estavam aqui antes de nós, e ainda permanecerão quando tivermos ido.
Assim como você – disse Meera. Aquilo entristeceu Bran. E se eu não quiser permanecer quando vocês se forem?, quase pergunto.-(Bran, ADWD)
Bran viverá mais que seus amigos, Meera e Jojen. Embora ele se reencontre com seus irmãos Arya, Sansa, Rickon e até mesmo Jon, e sua vida com eles seja feliz, Bran viverá mais do que eles também, e que seus filhos. Ele viverá mais que Nymeria, Cão Felpudo, Fantasma e até Verão. Corvo de Sangue lhe disse:
Tenho meus próprios fantasmas, Bran. Um irmão que amava, um irmão que odiava, uma mulher que desejava. Através das árvores, ainda os vejo, mas nenhuma de minhas palavras jamais os alcançou. O passado permanece no passado. (Bran, ADWD)
Através da árvore-coração de Winterfell, Bran será na velhice como Corvo de Sangue é agora, "meio cadáver e meio árvore, [...] parecia menos um homem do que uma sinistra estátua feita de madeira retorcida" e imerso nas memórias de uma infância feliz que está perdida para ele: Ele e Arya correndo brincando com espadas de gravetos no bosque sagrado; escalando as paredes de pedra enquanto Arya e Sansa têm uma luta com bolas de neve; o pai que se senta ao lado do fogo falando "suavemente da era dos heróis e das crianças da floresta"; uma mãe ordenando-lhe para descer antes que caia; ele, Jon e Robb treinando no pátio.
Perto do fim de sua vida, Bran não será tanto um ser humano. Mais como um veículo e canal das energias mágicas que são a fonte do poder da Casa Stark. Ele será um rei quando "nunca pediu para ser um príncipe", um vidente verde quando "era com a cavalaria que sempre sonhara": Ele será o Stark em Winterfell, preso ao lugar primeiro pela paralisação de suas pernas e sua ligação com o lobo gigante e as árvores, depois por sua ligação física com a própria árvore-coração.
Seja qual for a barganha faustiana que o Construtor fez para ajudar os Filhos, é claro que ele não apenas se ofereceu: ele ofereceu seus herdeiros. A jornada de Bran, seu preparo como Senhor, warg e agora vidente verde é processo que possivelmente levará milhares de anos em construção. O próprio Bran vê seu papel de Senhor, o Stark em Winterfell, como seu destino, sua única escolha:
Por que teria de desperdiçar seus dias ouvindo velhos falando de coisas que só compreendia parcialmente? Porque está enfraquecido, lembrou-lhe uma voz no seu interior. Um senhor na sua cadeira almofadada podia ser aleijado. [...] Mas um cavaleiro no seu corcel de batalha não podia. Além disso, era o seu dever. (ACOK, Bran II)
Depois que ele olhou profundamente para o Coração do Inverno, o Corvo de Três Olhos disse a ele: "Agora você sabe por que você deve viver... porque o inverno está chegando."

A Nova Era

A extensão da ajuda dos Cantores a Bran, Casa Stark e o reino traz à mente a pergunta: Por quê? Por que fariam isso? Eles vivem em uma caverna protegida, e estão à beira da extinção em qualquer caso, então o que importa para eles que a humanidade em Westeros possa ser dizimada? A Resposta está na previsão de Folha dos anos que estão por vir:
Foram para baixo da terra – Folha respondeu. – Nas pedras, dentro das árvores. Antes dos Primeiros Homens chegarem, toda esta terra que você chama de Westeros era nosso lar, e mesmo naqueles dias éramos poucos. Os deuses nos deram longas vidas, mas não grandes números, para não saturar o mundo, como os cervos saturariam a floresta se não existissem lobos para caçá-los. Aquela era a aurora dos dias, quando nosso sol estava nascendo. Agora ele se põe, e este é nosso longo minguar. Os gigantes estão quase desaparecidos também, eles que eram nossa perdição e nossos irmãos. Os grandes leões das montanhas do oeste foram mortos, os unicórnios se foram, os mamutes são apenas algumas centenas. Os lobos gigantes sobreviverão a todos nós, mas sua hora também chegará. No mundo que os homens fizeram, não há espaço para eles, ou para nós.
(Bran III, ADWD)
Folha está prevendo a morte de todas as raças mágicas e anciãs do mundo, até mesmo lobos gigantes. Dado que a magia dos represeiros inclui poderes de profecia, talvez ela esteja correta, talvez não. O que é relevante, no entanto, é o que não foi previsto que acabaria: os represeiros e os sacrifícios de sangue dados a eles são de onde vem magia de Westeros. Onde um assentamento humano declinou, os represeiros retornam, como Brienne descobriu nos Sussurros e Bran no Fortenoite. Ambos encontraram represeiros jovens, magros e sem rosto. A civilização ândala, que teme e queima madeiras selvagens, também está morrendo, a medida que o Sul entra em colapso por meio da violência e da fome.
A explicação está nos represeiro, e na ajuda a Bran e, por extensão, ao reino: os filhos pretendem que a humanidade seja herdeira da administração das árvores sagradas que guardam as almas de seus ancestrais e sua memória. A humanidade, ao contrário dos Cantores, se reproduz rapidamente, e qualquer que seja a origem exata dos Outros (seja como arma criada pelos Cantores que saiu pela culatra, ou como alguns teóricos sugerem, troca-peles que realizaram o que Varamyr não conseguiu fazer através de bebês masculinos como as oferendas de Craster, ou algo totalmente diferente), foi apenas com a chegada da humanidade que os Outros entraram para os registro histórico. Os Outros agem como uma ferramenta cósmica contra uma humanidade que esgotaria a terra como "como os cervos saturariam a floresta se não existissem lobos para caçá-los."
Os Outros são os lobos para caçar humanos, o gelo para trazer equilíbrio ao fogo. Os Starks em Winterfell agem como um dos guardiões desse equilíbrio, a tranca em um portão que mantém à distância um poder sombrio na terra, assim como os valirianos eram para o que estava nas profundezas das Quatorze Chamas. Eles manterão esse equilíbrio até que talvez eles, por sua vez, encontrem o mesmo destino que os Cantores e sejam substituídos por outro invasor de Essos. Não surpreeende que Winterfell pareça ter sido projetado tendo em mente a luta contra os Outros e suas criaturas.
Sugere-se que a Ordem Sagrada dos Homens Verdes tenha se combinado de alguma forma com a terra se analisarmos sua pele verde, aura mágica e a administração de um poderoso bosque de represeiros, e é certo que desempenharão algum papel neste projeto, embora ainda não esteja muito claro qual é esse papel, assim como os detalhes desse projeto.

Conclusão

Há uma relação entre as diferentes figuras míticas e as fontes de seu poder:
Em todo caso, há um esboço de força sobrenatural, e até mesmo divindade, na entidade que age como uma ponte entre presente e algo muito maior: Winterfell para o passado antigo, o represeiro para a divindade e o Santo Graal para o deus-criador cristão. A imagem do Rei Pescador em ASOIAF é criada a partir da fusão do papel do Rei do Inverno ao vidente verde, e, por sua vez, a de Winterfell à árvore-coração. Ela se baseia em uma série de enxertos entre seres diversos e distintos, como afirma este meta-texto:
Simbolicamente, o enxerto imagina a súbita junção de coisas diferentes - uma fusão que pode ser perturbadora ou transformadora. O enxerto representa não apenas uma prática horticultural, mas também uma forma de compreender as fronteiras permeáveis e produtivas entre eu e outros, humanos e não humanos, bem como as conexões entre passado, presente e futuro...
Talvez o mais importante, enxertando noções de primogenitura e ideias estritas de parentesco, introduzindo incerteza em distinções renascentistas entre alto e baixo, animais e plantas, humanos e não humanos.
O Stark em Winterfell por sua natureza é destinado a ser um vidente verde, e sua ligação com o castelo é inseparável de sua ligação com a árvore-coração. Através disso, por sua vez, Winterfell adquire o aspecto de uma árvore, assim como o represeiro tem aspectos de pedra. Cada um se torna como o outro, fundido em praticamente um ser, assim como o rei adquire qualidades de divindade e, no caso do Criador Cristão, o deus é pensado como um rei ("rei dos reis, que do teu trono olha para ti"). Winterfell, nunca se diz ter sido "construído" na narrativa. Em vez disso, "Milhares e milhares de anos antes, Brandon, o Construtor, erguera [raised] Winterfell e, segundo alguns diziam, a Muralha." -(AGOT, Bran IV). "Criar" [raise], da maneira que você "cria" uma criança ou cultura, é a maneira pela qual você lida com algo que é orgânico, vivo, com sensibilidade própria. Bran também nota que aqueles que "construíram" Winterfell "nem sequer tinham nivelado a terra; havia colinas e vales por trás dos muros de Winterfell”.
Winterfell é assimétrico e irregular, como as coisas vivas e orgânicas são. Esta imagem está fortemente impressa nela que se diz que "o edifício fora crescendo ao longo dos séculos como se fosse uma monstruosa árvore de pedra, com galhos nodosos, grossos e retorcidos, e raízes que se afundavam profundamente na terra." Cada um feito mais forte por essas relações, com o Stark em Winterfell servindo como um ducto humano.
Da mesma forma que Winterfell se torna como uma árvore, o represeiro tem aspectos de não ser de alguma forma do mundo de carne e osso. Um Blackwood observa sobre um represeiro: "Por mil anos não mostrou nem uma folha. Quando se passarem mais mil anos, ela se transformará em pedra, [...]. Represeiros não apodrecem”.
Muitas vezes na narrativa, a madeira é comparada com osso, liso e branco, e osso é um tecido do corpo que permanece muito tempo após a morte, separado da carne viva. O Construtor também está associado com Ponta Tempestade. "Uns diziam que os filhos da floresta o ajudaram a construí-lo, dando forma às pedras com magia; outros afirmavam que um garotinho lhe tinha dito o que fazer, um garoto que cresceria para se tornar Bran, o Construtor”. -(ACOK, Catelyn III)
Entender o Construtor como um Rei Pescador resolve muitas contradições na história história dele, especialmente a ideia de que um homem procurou por uma raça de seres que fizeram suas casas de madeira e folha para aprender a construir um castelo de pedra. Havia um propósito muito além do aprendizado; ele foi propor uma união: a civilização humana e a floresta primordial, para criar um monólito que é tanto castelo quanto árvore, governado por um homem que é rei e xamã. Como deveria ser. E como será, pelo único rei em Westeros que GRRM e sua história valorizam e honram:
Brandon Stark, o herdeiro de Winterfell, filho de Lorde Eddard e Lady Catelyn.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.11.25 22:25 altovaliriano A nova face de Arya Stark

Texto original: https://radiowesteros.tumblr.com/post/91445666263/aryas-new-face-jeyne-poole
Autores: Lady Gwynhyfvar e Yolkboy
Título original: Arya’s New Face – Jeyne Poole?
O texto abaixo é uma tradução.
Os trechos de Os Ventos do Inverno foram retirados da tradução feita pelo Portal Gelo & Fogo.
--------------------------------
É difícil prever o que o futuro reserva para Arya, mesmo depois de ler o capítulo Mercy de Os Ventos do Inverno. Com tão poucas pistas para seguir, pode valer a pena usar a lógica narrativa para reunir ideias e, em seguida, ver se o texto as corrobora.
A identidade é um tema enorme nestes livros para muitos personagens, mas é especial no caso de Arya, que teve dezoito nomes e personas diferentes até agora. GRRM gosta de abordar a questão da identidade de todos os ângulos, e cada livro revela uma nova camada sobre o tema – desde personagens renascidos com seus ‘eus’ alterados até Bran entrando em Hodor. A identidade está tão ligada ao arco de Arya que pode ser uma boa ideia refletir sobre como GRRM pode avançar sua história promovendo este tema – levando Arya e identidades a um novo nível.
Junto aos homens sem Rosto, Arya vem usando faces de mortos, de modo que parece provável que sua associação a novas identidades aconteceria neste contexto. É interessante ponderar qual novo rosto Arya poderia acabar usando, especialmente quando retornar a Westeros, o que não apenas avançaria o tema da identidade, mas também forneceria as mais intrigantes oportunidades narrativas. Inquestionavelmente, a mais poética identidade que Arya poderia adotar (e que melhor conviria às dinâmicas de uma história fascinante) seria a da "falsa Arya" - Jeyne Poole. Depois de examinar A Dança dos Dragões e os capítulos liberados de Os Ventos do Inverno, a oportunidade de Arya usar o rosto de Jeyne parece absolutamente plausível.
Pra começar, os Homens Sem Rosto de Braavos precisariam obter o rosto de Jeyne, o que exigiria que ela fosse para Braavos em um futuro próximo. Em ADWD, Jon acredita que Arya havia chegado à Muralha. A verdade, era Alys Karstark. Mas antes de perceber isso, Jon pensa que sua 'irmã' "não estará a salvo" e que "a Muralha não era lugar para uma mulher, muito menos uma garota de nascimento nobre".
Sua primeira ideia para manter a garota segura é mandá-la para Braavos com o representante do Banco de Ferro:
Ela poderia ir para Bravos com Tycho Nestoris
Tycho está voltando para Braavos, e há lógica em enviar 'Arya' para longe de Westeros e da Muralha. Para a Cidade Livre mais próxima, um lugar relativamente seguro e civilizado ainda intocado pela guerra. Alys se aproximando da Muralha em um cavalo moribundo é um claro paralelo com Jeyne Poole, que em Os Ventos do Inverno está fazendo exatamente a mesma coisa. Ainda mais intrigante é que ela já está na companhia de Tycho Nestoris, que planeja seguir para Braavos com Justin Massey assim que chegarem à Muralha.
Stannis assentiu. “Você escoltará o banqueiro bravosiano de volta à Muralha. Escolhaseis bons homens e leve doze cavalos.” [paralelo com Alys em seu cavalo moribundo]
...
O rei não se divertiu. “Quero que tenha partido antes do meio-dia, sor. Lorde Bolton pode estar sobre nós a qualquer momento, e é imperativo que o banqueiro retorne a Braavos. Deverá acompanhá-lo para além mar estreito.”
...
Oh, e leve a menina Stark com você. Entregue-a ao Senhor Comandante Snow no caminho a Atalaialeste.”
Após o assassinato de Jon, é muito provável que a Muralha se torne mais perigosa do que nunca. Alysane Mormont está acompanhando (f)Arya. E parece muito improvável que ela abandone a jovem (que ela acha que é Arya Stark) em circunstâncias tão perigosas. A escolha mais lógica, que já poderia ter sido prenunciada pelos pensamentos de Jon […], seria mandá-la para Braavos.
Se (f)Arya for para Braavos, ela então precisaria 'suplicar a dádiva' na Casa do Preto e Branco para que os Homens Sem Rosto tomassem sua face. Pelo que sabemos de Jeyne, isso seria completamente plausível. Ela parecia uma garota feliz no início dos livros, então foi forçada a se prostituir e, em seguida, sofrer abusos horríveis e indizíveis nas mãos de Ramsay Bolton. Embora ela tenha escapado, seu tormento interior não está nem perto de ser resolvido. No capítulo liberado de Theon, percebemos que Jeyne deve continuar a se passar por Arya – ela está presa na pior crise de identidade imaginável. Jeyne não consegue se livrar do passado: ela é forçada a ser alguém que não é, alguém que realmente sofreu. Vemos como isso a afeta:
"Jeyne Poole chorara por todo o caminho de Winterfell até aqui, chorara até que o rosto ficar púrpura como uma beterraba e as lágrimas congelarem nas bochechas, e tudo porque ele dissera que ela devia ser Arya"
Este tormento psicológico não é a única fonte de dor de Jeyne. No capítulo liberado, o nariz dela está congelado:
"Quando a ponta do nariz dela ficou escura pelo congelamento, e um dos cavaleiros da Patrulha da Noite lhe dissera que ela poderia perder um pedaço dele, Jeyne chorara por isso também."
Jeyne está chorando sem parar, sua mente está em ruínas e seu rosto está prestes a ficar desfigurado. Esta é uma garota que era amiga de Sansa, e provavelmente sempre imaginou se tornar uma jovem atraente conforme crescesse. Ela afirma em A Dança dos Dragões que sempre foi bonita.
Então Jeyne Poole tem dois grandes motivos para visitar a casa de Preto e Branco e pedir "a dádiva", caso ela vá a Braavos. Isso forneceria aos Homens Sem Rosto um rosto muito valioso – e, a GRRM, abundantes oportunidades narrativas para Arya.
Theon garante a Jeyne que "ninguém" vai se importar com a aparência de Arya. No capítulo Mercy, vimos com a frase de Raff ("Está cega, menina?") que GRRM gosta de jogar com o nome de Arya, e esta seria outra de suas peças, usando a palavra 'ninguém':
"Ninguém vai se importar com a aparência de Arya, desde que ela seja herdeira de Winterfell,” ele garantiu.
Se Arya usar o rosto de (f)Arya e retornar a Westeros, o potencial narrativo é realmente fascinante. As possibilidades que essa situação traria são quase infinitas. Contudo, Arya aparecer como Jeyne e depois encontrar Sansa provavelmente seria o ápice em termos de dinâmica. GRRM teria feito o tema da identidade chegar a um novo nível. Jaqen H'ghar posando como Pate nos mostrou que tomar um rosto é uma sedução [glamour] corporal completa, em vez de apenas usar um rosto. E com a logística e citações textuais fornecidas aqui, não vemos nenhuma razão pela qual Arya Stark não poderia um dia se tornar (f)Arya Stark.
(Tema discutido no Episode 01: Arya- A Gift of Mercy do Radio Westeros)
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.11.23 00:04 cobrinha_ANCAP VOCÊ É RICO E NEM SABE. A grande riqueza que seus avos tiveram e a esquerda esta roubando de você e seu filho, não é a riqueza material(essa eles também roubaram),mas nada como afastarem os jovens de milenios de rica cultura para joga-los contra os proprios pais e as proprias tradições ancestrais...

VOCÊ É RICO E NEM SABE. A grande riqueza que seus avos tiveram e a esquerda esta roubando de você e seu filho, não é a riqueza material(essa eles também roubaram),mas nada como afastarem os jovens de milenios de rica cultura para joga-los contra os proprios pais e as proprias tradições ancestrais...
https://preview.redd.it/4wx7vwt8hv061.jpg?width=900&format=pjpg&auto=webp&s=7dc95e96d04cb3ad4f9f9f7a8abe4a53e2b0ccf2
...para defender marxismo cultural que matou 100 milhões, para defender posmodernismo dizendo que tudo até hoje estava errado, jogue fora as tradições que são resultado de milenios de esperiencias praticas daquilo que os seres humanos são capazes de fazer de melhor, botar tudo no lixo e seguir teorias nunca aplicadas, alias, ja aplicadas, porque foi tentado reescrever a historia, nazista e comunistas fizeram isso e pra fazer isso eles precisaram matar milhões e milhões de pessoas, porque tinha aqueles que representavam as velhas tradições, a ameaça do passado maligno que eles pra construir um mundo melhor tinham que enterrar.


Esses jovens que cultuam o marxismo e o posmodernismo, a grande maioria não conhece a historia de seus ancestrais, as vezes nem os pais sabem, isso foi minado, qualquer pessoa mais velha no interior vai falar das virtudes, dos valores, da capacidade de sacrificios e disciplina que faziam parte de suas tradições mesmo que fossem conservadoras em excesso, hoje esses jovens rebeldes quando pensam em sua propria identidade é na relação vazia e ruim que eles tem com os pais que muitas vezes também já foram vitimas do ensino e midia de entretenimento marxista, jovens que acham que a professora é quem sabe a verdadeira historia das familias deles, dos ancestrais, das culturas.


É impressionante quando um jovem que foi doutrinado, como eu, acorda, eu literalmente me senti saindo da matrix, a esquerda recorta pequenos pontos que ela quer da historia, tudo aquilo que sirva pra dizer que existe uma luta de classes e que essa luta é o que realmente guiou a historia e que é o importa, todos os tipos de socialistas, dos stalinistas aos anarco-comunistas, todos, acreditam nessa palhaçada de luta de classes, como eu acreditei, é claro que existe uma tendencia de ricos e pobres se oporem na historia, mas ao mesmo tempo tempo existem muitas outras lutas na historias, o padrão sempre foi tanto ricos e pobres de uma mesma tribo, cidade-estado, reino, cultura, lutarem juntos contra ricos e pobres de outras, normalmente os ricos iam a cavalo, as elites iam para o campo de batalha, foi só quando o desenvolvimento de armaduras capazes de resistir melhor a flechas e avanço das tecnicas militares que houve a reforma hoplita no ocidente e então a guerra foi se tornando decidida pela infantaria, por homens cada vez menos poderosos e isso é o que fez monarquias serem substituidas por oligarquias, republicas e democracias na grecia, então os ricos não eram simplismente os covardes que mandavam escravos lutarem, a maior parte da historia foi o poder sendo decidido em lutas de nobre contra nobre, nobre matando nobre.


Pro homem livre comum, não houve conquista maior do que poder ir para guerra, agora ele era muito mais importante, a sobrevivencia e soberania dos nobres da cidade dele dependiam da assa de homens que ele homem livre comum fazia parte, com as gerações os sobreviventes foram acumulando riqueza atraves de terras ganhas nas conquistas militares e outros espolios, então os ricos comandavam a parada, mas os ricos sempre comandaram a parada e antes o homem comum era quase um escravo, descartavel, não fazia falta se morresse.


Os ricos poderiam ter dito não a reforma hoplita, com certeza houve pelo mundo muitos ricos temendo os homens comuns unidos em grandes exercitos que eram mais poderosos que a cavalaria de sua propria nobresa, mas teve ricos que disseram "foda-se", vamos instruir esses plebeus na arte da guerra, vamos dividir os espolios com eles e ja era, depois a gente ve eles vão virar uma ameaça muito grande pra nós, vamos vencer hoje os nossos inimigos, nos aliando com nossos plebeus, ou seja, ao longo da historia sempre tiveram os ricos descolados que toparam que a plebe melhorasse de vida, se instruisse mais e se tornasse uma ameaça maior aos proprios ricos, mas esses ricos toparam isso justamente porque não eram só de baixo ganhando, eram todos eles ganhando, era o aumento da eficiencia, fazer mais com menos custo, ou seja, enriquecendo toda a sociedade, até os escravos passaram a viver melhor.


Então até o papinho da luta de classes, só existe porque entre os poderosos tem sempre caras que estão dispostos a perder parte do poder, permitir o surgimento de intermediarios, ricos menores, porque a descentralização enriquece todo mundo, isso é o capitalismo, permitir e até enconrajar que as pessoas se especializem, não só aqueles com titulo de nobreza, mas quem permitiu isso foi a propria nobreza, eles eram plebe, viraram nobres e eles mesmos viraram burgueses e abriram as portas para servos se transformarem em todo tipo de comerciantes, então que luta de classes é essa?


Os ricos abrem as portas, sempre foi assim na historia, pode ser que a maioria deles tenham sabotado essas aberturas mas o fato historico é que de tempos em tempos os ricos sempre permitiram que todos vivessem melhor e claro isso gera descentralziação de poder, alguns descendentes de alguns ricos acabam empobrecendo e alguns descendentes do pobres acabam ascendentem nessas aberturas, então os ricos que topam se arriscar e instruir mais gente em novas tecnologias e areas complexas, esses ricos eles vencem na historia e vencem cada vez mais rapido, então a vida dos não ricos nunca foi tão cheia de oportunidades em termos de poder se instruir e participar de revoluções tecnologicas, antes eram a cada seculo agora são a cada 10 anos...


Mas os esquerdistas continuam falando em luta de classes, em dizer que o patrão é o inimigo do empregado, em querer taxas o burgues, poder ter certeza que a desigualdade entre os paises com historico de respeitarem mais os ricos e os que não respeitam como america latina, essa desigualdade vai aumentar muito, porque varios ricos vão gozar da facilidade de investir onde quiserem, não faz sentido deixar seu dinheiro onde tem mais riscos de esquerdistas chegarem no poder, ou dominarem o congresso e usarem de todo tipo de medidas populistas.


Luta de classes é uma ideia fascinante para jovens revoltados com os pais, vão virar intelectuais mediocres, ou pessoas sem instrução que caem nessa historia muito conveniente de juntar sua confição economica inferior com a inveja, o nome certo seria "classes dominantes cada vez menos centralizando o poder e cada vez mais incluindo as outras", e todo esse processo não teve um dedo da esquerda, porque a riqueza que a esquerda gosta de distribuir e fazer populismo, é gerada por pessoas que investiram sendo ricas ou correndo o risco de ficarem ricas, os meritos são dos capitalistas, sem eles a esquerda só teria miseria para distribuir como no fim da união sovietica.


Mas eu estou muito contente nesses ultimos anos, desde que bolsonaro ganhou eu comecei a ouvir conversas antes inimaginaveis, funcionarios conversando com patrões dizendo que se sentiam até mal de ja ter pensando que patrão é um explorador, mas que com a grande contestação da esquerda refletiram e viram que seus patrões eram seres humanos, pessoas que estavam correndo riscos tocando aqueles negocios, que estavam fazendo um grande bem a sociedade, eu vi essas conversas, varias vezes, me parece que houve uma especie de confissão, arrependimento, as pessoas começaram a dizer que sentiam vergonha da ingratidão esquerdista com os empresarios.


Então o jovem revoltado com todo mundo que pensa que os ricos são culpados porque a familia dele é cheia de problema, deveria primeiro querer estudar varias linhas da historia antes de sair aceitando as ideias convenientes da "luta de classes", porque acima de tudo é "tudo mentira" e é "para ladrões roubarem" ao invés de produzirem alguma coisa.


Você é fruto de um emaranhado de relações humanas de pessoas dispostas em permitir, ao longo da historia, o progresso e o avanço de todos, e as tradições de seus ancestrais tem muita riqueza, formas de viver que realmente se provaram com o tempo viaveis e eficientes, você aceitar ideias falsaficadoras da historia como a luta de classes, você esta corrompendo a historia e rica cultura da humanide e de seus proprios ancestrais, pior, você esta cegando a si mesmo, sera usado pelos populistas que são os psicopatas da historia humana sempre gerando miseria e autoritarismo com palavras bonitas de ajudas as vitimas, os coitadinhos, se você não questionar os marxistas e posmodernistas, eles roubam sua identidade, por mais que você não conheça sua propria historia, pense que conhece seus ancestrais e eram uns idiotas, mesmo um comunista dos anos 60 era completamente outro tipo de homem, nem esses servem mais pra o nivel de destruição da cultura, rica cultura milenar da humanidade, agora é dizer que estavam todos erradas, que exintem centenas de generos, que a linguem foi sempre uma linguagem de opressão porque não usavam pronomes neutros, ou seja, seus ancestrais eram uns barbaros e agora especialistas humanistas vão reparar toda a monstruosidade que foi a historia humana.


O dever de cada ser humano honesto é impedir o marxismo e o posmodernismo de fazer essa lavagem cerebral, pelo menos nos seus filhos enquanto crianças, porque a grande riqueza que eles ja roubaram em grande parte do ocidente, é a riqueza da cultura humana, das tradições milenares que se expressam até nossos antepassados, a quebra do contato com quem via significado profundo na vida é uma grande causa de jovens com todo tipo de problemas psicologicos no ocidente hoje, jovens esquerdistas, e eu fui um deles, combatem a cura e lutam para aumentar as doenças das quais eles sofrem, qualquer um que guie sua vida baseada numa luta de identidades de poderosos contra vitimas, vai mais cedo ou mais tarde se transformando num infeliz falsificador da historia humana, um rancoroso daqueles que vão subir, porque ele mesmo é um destruidor, se pelo menos fosse um destruidor, um critico daquilo que é podridão como a propria esquerda, ai o individuo poderia expressar sua raiva mas pelo menos ter a chance de ver o tesouro que a humanidade deixou para ele, desde tempos imemoriais até os ultimos milenios de historia escrita, tradições provadas pelo tempo eque tem muito mais a nos ajudar do que os fracassos do homem novo do seculo 20 que terminou em genocidios.


VOCÊ É RICO E NEM SABE.
submitted by cobrinha_ANCAP to brasilivre [link] [comments]


2020.11.22 17:00 altovaliriano O "tema" por trás de House of the Dragon

Em uma recente entrevista que Ryan Condal deu ao pior fansite do mundo Winter is Coming, ele afirmou o seguinte sobre House of the Dragon:
[...] eu acho que qualquer escritor, toda vez que se aproxima de um projeto, pergunta: 'Por que estamos contando essa história?' E isso geralmente é uma pergunta sobre o tema. A série original tem certos temas, e eu acho que eu e Miguel (Sapochnik) encontramos juntos esse tema, que permeia muito da dinastia Targaryen, sobre o qual estamos muito animados.
(tradução livre)
Como vemos o showrunner fez essa revelação com o propósito de distinguir HotD e GoT, mas não explicou nem quais eram os temas de um nem do outro.
Eu já tenho uma certa resistência à discussão de temas em matéria de arte dramática. Não porque eu concorde com a declaração de David Bennioff que "temas são coisas para resenha de livro de aluno da oitava série" (tradução livre), mas porque eu acho que realmente entender o tema de uma história é uma grande realização. Normalmente, os próprios autores das obras estão alheios a seus temas, que são por vezes melhor determinados pelos críticos de suas obras.
Com isso, não estou dizendo que Ryan e Miguel não são capazes de perceber temas. Uma pesquisa no Google mostra como há um grande número de pessoas debatendo os temas de ASOIAF com bastante propriedade e sofisticação. A percepção de temas não é uma religião de mistérios.
O que me deixa desconfiado é que Condal afirma ter percebido um único tema que permeia muito da dinastia Targaryen. E, não sei o que vocês acham, mas para mim quando ele diz que estão "muito animados" com o tema encontrado é como se dissesse "este é o tema central que vai influenciar tudo". #medo
Eu ficaria completamente tranquilo se Condal dissesse que eles identificaram um conjunto de temas. Mas um único tema que permeia as histórias de centenas de personagens por centenas de anos? É bom que eles tenham certeza do que estão fazendo.
Enfim, eu fiquei imaginando qual tema seria esse, dentre os tantos possíveis. Há muitas listas de temas na internet (veja essa, por exemplo). Eu selecionei alguns temas comuns que parecem ter relação com a Dinastia Targaryen.

Mudança vs Tradição

Os Targaryen chegaram em Pedra do Dragão para nunca mais voltar a Valíria, mas mantinham costumes próprios. A única mudança que é vagamente dita nos livros foi que é possível que eles tenha se convertido à Fé dos Sete logo no tempo de Aenar. No tempo da Conquista, a Casa ganhou nova sede, um brasão e seu lema.
Durante a dinastia, muita pressão foi exercida sobre a Casa para que ela abandonasse o incesto e a poligamia. A história da Casa é marcada pelo atrito e diplomacia para manter seus costumes e privilégios, pois eles acreditavam que estas diferenças eram o que lhes tornavam poderosos e melhores dos seres humanos comuns.
Um subtema que eu acrescentaria aqui seria o "ceder para governar", algo que os Targaryen fazem desde Aegon I.

Opressão das mulheres

As mulheres Targaryen tinha um protagonismo que era estranho aos costumes dos Ândalos. Meistre Gyldayn nos conta como Visenya e Rhaenys eram consideradas parceiras de Aegon no poder, com poder comparável à Mão do Rei (cargo que ainda não existia):
Embora ninguém duvidasse que Aegon Targaryen fosse a autoridade máxima em todos os assuntos relativos ao governo do reino, suas irmãs Visenya e Rhaenys continuaram suas parceiras no poder por todo o reinado. Exceto talvez pela Boa Rainha Alysanne, esposa do rei Jaehaerys I, nenhuma outra rainha na história dos Sete Reinos jamais exerceu tanta influência na política quanto as irmãs do Dragão. Era costume do rei levar consigo uma das rainhas em todas as suas viagens, enquanto a outra permanecia em Pedra do Dragão ou em Porto Real, muitas vezes sentada no Trono de Ferro, decidindo quaisquer questões que lhe fossem apresentadas.
(F&S, Três Cabeça tinha o dragão: O governo de Aegon I)
Esse poder feminino sem precedentes nos Sete Reinos, contudo, foi se esvaziando conforme o passar do tempo, conforme a Casa Targaryen foi sendo absorvida pela cultura de Westeros. Conselho após conselho, crise de sucessão após crise de sucessão, as mulheres foram puladas na linha de sucessão.

Últimos de seu tipo

Volta-e-meia corria pelos sete reinos o estigma dos Targaryen como loucos, feiticeiros ou abominações. Eles não eram simples estrangeiros de uma terra de costumes estranhos. As pessoas os tratavam como diferentes dos homens normais. A doutrina do excepcionalismo colou justamente porque, no fundo, as pessoas em Westeros os viam como pessoas diferentes.
"Mas há descendentes de valirianos por todo o mundo", alguém poderia alegar. Entretanto, os valirianos são os últimos Senhores de Dragão. A última das 40 famílias que governaram Valíria. E, supostamente, apenas seus descendentes podem domar as feras que (supostamente) surgiram das Quatorze Chamas.
Como nós sabemos que os Targaryen serão depostos e extintos (ao menos no cânone da HBO), toda a história Targaryen torna-se uma exploração das razões que levaram à desgraça da Casa.

Destino / Predestinação

A existência deste tema é discutível, mas toda a história conhecida dos Targaryen é permeada pela sensação de predestinação. Tudo começa com o sonho de Daenys que os tira de Valíria e evita a destruição da Casa, passa pelas profecias sobre o renascimento de um herói mítico na linhagem, e culmina com o renascimento dos Dragões no momento em que uma segunda Longa Noite se aproxima.
-------------------------------------------------------
Vocês acreditam que algum destes temas é aquele ao qual Ryan Condal se referiu?
Vocês veem outros temas que permeia a dinastia Targaryen além dos citados acima?
Por favor, comentem!
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.11.21 09:15 meucat Subconsciente trai Fernanda Vasconcelos no JN de ontem 20/11 no segundo 40 da abertura

O JN começou como estava previsto, fazendo o maior fuzuê, tentando emplacar o rotulo de "racismo" na morte do homem do Carrefour.
O Renata começou falando "...ao menos dois homens BRANCOS espancaram um cidadão NEGRO até a morte num supermercado em POA" (se fossem dois negros espancando um negro será que a ênfase ia ser a mesma?, fica a pergunta)
O Bonner continuou o carnaval com o bla bla bla organizações que protestam por crime de RACISMO bla bla bla ... até ali tudo normal como está escrito na pauta "vamos criar divisão , briga e confusão entre a gente, brancos 1 x 0 pretos".
Mas a segunda "bomba" do Bonner foi sobre o nosso querido e velho amigo o vírus covid-19 , que não podia faltar nestes momentos de auge.
Ali o cara entrou bufando "O Brasil passa de SEIS MILHÕES de casos de COVID" (ele bem que gostaria de ter falado "6 BILHÕES" e "culpa do bolsonaro" mas ia soar exagerado)
E foi ali que a Renata se empolgou e deixou o subconsciente trair ela, embora conseguiu corrigir bem a tempo justo na linha do gol (tem que analisar com o VAR).
Ela emplacou um belo "...para CELEBR... para ACELERAR a vacina..."
Aquele "celebrar" os 6 milhões quase que escapou por completo.
Mas tudo bem, é compreensível, a globo hoje iniciou o JN com duas belíssimas noticias para colocar lenha na fogueira e conseguir alguns pontos no ibope.
Confira
https://www.youtube.com/watch?v=lYwoeWm7Dgg
submitted by meucat to brasilivre [link] [comments]


2020.11.20 10:43 darkstep1312 A Pseudo-Troca da Monarquia à República

Olá eu vim através deste texto vim conversar a respeito de um tópico que é o periodo aonde a burguesia e o clero juntos decidiram agradar e apaziguar as massas camponesas pois mesmo naquela época as organizações trabalhadoras e camponesas começavam a expressar perigo.
Gostaria de dizer e pedir aos amigos e inimigos que pudessem entender que estou fazendo uma análise inclusive para quem tem uma religião e ainda acredita nestes sistemas de controle que você irá chegar em uma verdadeira forma de espiritualidade mesmo que sua tradição que você escolheu apresente algumas deturpações e algumas coisas inusitadas.
Eu gostaria de conversar com vocês a respeito de um mito e do povo rico que acredita neste mito .
Eles acreditam que durante a construção do Templo de Salomão um homem chamado Hiram Abiff foi injustamente assassinado por judeus que queriam os segredos do mestre pedreiro e algumas senhas. Portanto , este mesmo Hiram Abiff aparece muitas e muitas vezes em diversos personagens da história , sempre em regimes opressivos e totalitários . Este mesmo apareceu como Rei de Tiro segundo estes mesmos ricos afirmam , Tiro era como um grande império muito rico dominante que explorava que matava tudo que eles conseguiam , dizem que este personagem apareceu como Rei de Tiro e como muitos outros personagens históricos e até hoje através de morte místicas e dos adeptos eles tentam trazer este personagem para a psiquê daqueles personagens políticos importantes que passam pela morte ritual para ver se suportam a energia do governante do mundo material .
Este povo rico está dentro de cada uma das religiões organizadas e eles tem relicários e informações e livros importantes sobre cada uma das mesmas , trancam muitas verdades a respeito de várias tradições tudo que nós temos hoje disponível em forma de organização religiosa com aval do estado é dominado por estes homens ....
Vou utilisar aqui o exemplo mais clássico para o brasileiro aonde o catolicismo e o cristianismo protestante é mais dominante . Por exemplo , se vocês olharem Martinho Lutero era um iniciado pedreiro-livre membro assíduo do catolicismo que nunca deixou de ser católico e introduziu uma série de sutilezas para poder dominar os religiosos como eles bem precisassem dentro de poucos anos. Você pode ver muitas semelhanças entre a igreja evangélica e católica os casos de escândalo com pedofilia e abuso sexual que sempre acontecem , oque nunca acontece é a igreja perder seu tão amado ouro e seus pobres devotos que acreditam de pé juntos nas suas mentiras pseudo religiosas. Religião não era para ser algo ruim mais esta sociedade tornou a religião apenas mais uma forma de controle ... vemos que por exemplo na igreja evangélica não existe nada cristão que condiz com as escrituras , você ve o povo dizer que adora a deus da boca para fora que é só dizer que aceita jesus que ele pode ter mata uns 100 que ta perdoado , todo esse tipo de heresia vem da ordem dos pedreiros livres , estas sutilezas , pois os primeiros pastores das primeiras igrejas brasileria a batista, presbiteriana , cristã do Brasil , todos eram pedreiros livres se você colocar os nomes deles no site da maçonaria você irá ver a carinha deles na confraria ... assim como no budismo e no hare krishna vai ver os caras do desapego de carrão pedindo ouro para manter o templo que é revertido para a sociedade secreta e também vai ver O slogan da campanha eleitoral do presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi adotado pelo Grande Oriente do Brasil no Rio de Janeiro, uma das principais instituições maçônicas do país, para o ano de 2019. Em seu primeiro ato após o recesso de final de ano, em 21 de janeiro, o grão-mestre Edimo Muniz Pinho assinou o decreto que intitulou este ano como "2019: Brasil acima de tudo, GADU acima de todos". A sigla GADU significa Grande Arquiteto do Universo, que, para os maçons, representaria o criador do universo ... então se vocês acham que estou falando sobre religião vocês estão enganados , eu estou falando sobre os que querem controlar e estão controlando a mesma estão em todos os setores , se você pega qualquer religião eles estão lá .
O melhor jeito de sair da forma de controle , eu mesmo sou anarquista não sou ateu , apenas não sou religioso , meu caminho é apenas olhar para dentro de mim e observar eu sei que a verdade está contida em nós e no momento presente e não no futuro e no passado como as religiões tentam nos vender . Nada disto importa , o que importa é ajudarmos uns aos outros , viver o momento presente sem arrependimentos e é claro defender a vida .
Pois muitos de nós sabemos escândalos de homocídio , sacrifícios e rituais estranhos dentro de cada setor religioso , tudo isto toda esta morte as ideologias para causar divisão e mortes é apenas sacrifício para trazer Hiram Abiff de volta , eles acreditam que o mesmo precisa de muito sangue para voltar pra terra , somente durante uma guerra ou à beira da mesma e com muitos sacrifícios , em uma figura totalitária é que le poderá ser canalizado pela ordem ancestral que foi responsável pela transição da monarquia para a república , pelo feudalismo , pelo advento da igreja católica e do catolicismo romano , da transição da época das trevas para o iluminismo , a globalização e toda pseudo tecnologia que nos destrói e não nos serve pois para ser tecnologia deve servir ao progresso da humanidade , se não é apenas regresso disfarçado de aparato bonito complicado .
Toda forma de controle envolvendo hierarquia tem o dedo deles portanto vamos nos focar na realidade , no presente , viver o agora com amor salvando o máximo de vidas possíveis .
Pois a ordem trabalha apenas para a morte por isso instruem os presidentes a fazer queimadas , recusar a ciência e estimular os mesmos a não usar máscaras por exemplo , eles mesmos que provavelmente fizeram o tal covid . . . e todas pandemias desde a idade média é fruto dos rituais dele uma mistura de pseudo ciência e espiritualidade , aonde os mesmos em seus laboratórios com suas canalizações criam armas de destruição em massa e biológicas . . .
Estes mesmos odeiam a natureza , os animais , pessoas , alimentos , frutas e a água pois eles acreditam que a natureza é inimiga deles e eles precisam subverter ela isso é o ensino do grande arquiteto do universo que através de reis e de raínhas dominam sobre vocês todos ... a muito tempo.
Eles estão tentando destruir tudo para colocar ar artificial , água artificial , pessoas artificiais geneticamente feitas em laboratório , fazendas de humanos , água artifical e a comida artificial vocês já usam e está nos supermercados é transgênica , gorda , barata e tem o gosto da vida do burguês que nos domina , gosto de nada .
submitted by darkstep1312 to Anarquia_ptbr [link] [comments]


2020.11.19 03:14 Halllone Não consigo mais imaginar meu futuro neste mundo (Depressão)

Irei explicar minha situação em 3 Atos, já que hoje tive uma forte crise depressiva e chorei por horas seguidas. Não sei o que será de mim, mas saber que um dia irei morrer, me conforta de alguma maneira. Passeando pelo google achei esse fórum, e se vou morrer, melhor justificar antes as memórias de um perdido. Talvez essa seja uma pseudo carta de despedida, minha única obra de arte concretizada.
ATO I-Conhecendo minha sombra
Tenho 30 anos e já faz alguns anos que luto com transtornos de ansiedade e depressão. Desempregado, sou formado em Museologia em faculdade federal. Tenho apitdão artística, ilustração e roteiro (quadrinhos, jogos), mas por não ter passado em artes visuais acabei fazendo Museologia. Durante esse tepo tabém fiz cursos de desenho particulares, mas não consegui dar seguimento.A pesar de tudo, consequi me formar em 2018 em Museologia. Claro que já esperava ficar desamparado, pois, no Brasil, areás de cultura e arte são sucateadas. Mas o pior ainda iria vir esse ano, a Covid 19. Além de claro, haverem outras crises mundiais suscessivas.
Com o passar dos anos, meu transtorno do pânico e ansiedade sugaram minha vida, apesar de estar mais controlado, ainda tomo remédio e faço tratamento, tendo como consequência o fato de que parei de sonhar no processo. Vida social nunca tive plenamente e sempre preferi minha casa. Sou gay e isso dificulta muito a vida, já que nem entre os gays sou respeitado por não fazer parte dos padrões econômicos e estéticos postos na sociedade. Não, não sou gordo, porém sou pobre e não faço o tipo da maioria, então não querem nem se aproximar. E relacionamentos, nunca tive, só ilusões, talvez ninguém nunca me considerou para tal.
ATOII-Parei de Sonhar
Com a auto estima no ralo e problemas mentais, consegui terminar minha faculdade, não foi fácil. Entre graves crises de ansiedade em transportes públicos lotados e em aulas, fui carregando minha dor sozinho. e me sentindo cada vez menor no mundo. Ao desenvolver meu senso critico e maturidade dentro os anos, desenvolvi questonaentos ainda mais complexos acerca da minha via, cheguei a conclusão que sonhar é um privilégio da qual não posso me dar o luxo de ter. Sonhar pra mim so causou ainda mais dor e angústia, na minha cabeça existia um mundo que pelo menos, seria de alguma forma, acolhedor de alguma maneira. Mas até hoje nao achei esse lugar.
Viver é sofrer, e viver é sonhar, pena que eu parei na parte do sofrimento. Todos os dias sou lembrado de meus fracassos em tudo na vida, não tenho grandes conquistas, não tenho mais objetivos. Todos os planos que eu tinha de trabalhar, ser um artista morreram. A cada dia que passa, descubro mais que o mundo parece ter sido feito apenas para os ricos viverem, o resto, apenas sobreviverá ese puderem.

ATO III- Não vale a pena viver sobrevivendo, o fim de uma saga.
Não consigo mais me imaginar trabalhando na minha área, quase impossível. Também nao me vejo trabalhando com a minha arte, não existem artistas pobres que vivem de seu trabalho. Não tenho dinheiro, meu currículo não tem contatos, não sou sociavel, não sou bonito, e não tenho dinheiro. Não me resta mais muitas opções a não ser sobreviver. O problema é que de uns dias pra cá, comecei a notar que não faz mais sentido sobreviver entre tantos nãos, é como sofrer para nada. O nada pode ser tudo? Mas se tudo é nada, o nada não existe, ou seja ,além de nada só me resta a dor como subjetivação do contato com a vida.

Epilógo - Apocalipse subjetivo, a onda do fim, aniquilação.
Fui derrotado, percebo hoje que não tenho escapatória, eu zerei a vida. Tudo já me faz sentido, tudo já me falta. A morte derradeira não irá me ajudar, irá me aniquilar. Fui derrotado pelo país que nasci, fui derrotado pela situação socio econômica a qual pertenço, fui derrotado pela carga genetica herdada, fui derrotado pelos meus sonhos que só me enganaram. Fui derrotado pela minha auto imagem, fui rejeitado por homens bonitos, fui rejeitado pela vida ao nascer e ser entregue para adoção. E por fim, só me resta ser derrotado pela morte, pois, só ela poderá me trazer a aniquilação permanente.
No fim, a vida parece uma sucessão de coisas, acidentes cosmicos na imensa escuridão do espaço sideral. Algumas estrelas duram um pouco mais que outras, porém todas cairrão e se transformarão em pó.
Não consigo mais imaginar meu futuro neste mundo.
submitted by Halllone to desabafos [link] [comments]


2020.11.16 01:01 geovanadarkness Boy da Inglaterra

Bom, acho q sou louca só pra resumir. A história é o seguinte:
Menos de dois meses atrás eu estava procurando um parceiro para jogar Stardew Valley. Muitos homens mandando solicitação pra jogar depois (não estou brincando, foram cerca de 15 homens e 1 mulher) acabou que só duas pessoas realmente continuaram jogando comigo. O ruim do Stardew é que o pessoal te abandona fácil ou é difícil encontrar bons horários pra jogar.
Dessas 2 pessoas (ambos homens, um mexicano e um inglês), eu comecei a desenvolver sentimentos pelo inglês e ele por mim. Agora conversamos todo dia sobre diversas coisas, jogamos pouco, mas assistimos filmes direto pelo Discord, e trocamos muito segredos... e nudes (minha primeira vez fazendo isso 😊). O problema é: minha mãe odeia ele, ela nunca falou com ele até pq ele não fala português, porém o odeia mesmo assim e disse que nem se interessa em tentar conhecê-lo. O q me deixa extremamente triste e aflita, principalmente pq planejo ir pra Inglaterra ver ele em março, estou correndo atrás de dinheiro pq preciso de pelo menos 3 mil de passagem (apesar que ele quer pagar parte da passagem) e mais mil pra gastar com outras coisas.
Agora não sei como contar pra minha mãe que quero ver ele, nem como lidar com o escândalo q vai se seguir.
E sim, eu sei que é estranho eu e o inglês estarmos nessa intimidade em menos de 2 meses, mas pra mim ao menos parece natural. Ele diz q sente que é natural tb e quando conversamos parecemos dois pombinhos.
Obs: não sei se isso faz alguma diferença, mas ambos somos virgens, eu e ele, eu mais que ele pq nunca nem beijei. Temos 22 anos. E como ele é tímido geralmente sou eu que inicia as "sacanagens".
submitted by geovanadarkness to desabafos [link] [comments]


2020.11.15 15:18 LucasSkudy Tô a fim de me matar

Bom, vou tentar resumir tudo pra vocês entenderem
1° - Há um mês eu decidi terminar um relacionamento de 2 anos e 6 meses que durou todo o meu ensino médio. A minha ex era uma menina incrível, nós não tínhamos nenhum problema grande entre a gente além do que me fez terminar, que são as expectativas diferentes para o relacionamento. Eu não sentia mais vontade de sair com ela e sentia que não estava pronto pra ter um relacionamento muito sério nesse momento, quem sabe mais pra frente, então decidi terminar pq ela tbm já tava sofrendo e não queria ver ela triste
2° - Sempre tiver um pouco de histórico de depressão e sensibilidade, sofri bastante quando era menor e isso me afetou bastante, só que o namoro conseguiu disfarçar isso. Porém todo esse sentimento voltou agora
3° - O término tá me afetando muito. Tenho vontade de saber o que ela tá fazendo 24h por dia, meu tempo no celular foi de 3h/dia pra 7h/dia. Fico criando histórias na minha cabeça que envolvem ela e outros homens, o que me deixa mais pirado ainda. Vejo ela saindo e fico com ciúmes. Não tô conseguindo estudar pq não paro de pensar nela. Eu já conversei com ela e a gente não tá brigado, estamos de boa um com o outro, mas o sofrimento não passa. Além disso, tenho a sensação de que ela cagou pro tempo que a gente ficou junto e agora não quer nem saber. Detalhe: Moro em cidade bem pequena, então meios que nossos amigos são todos envolvidos e muita gente que conheço sei que já foi dar em cima dela.
3°.1 - Logo que terminamos eu sofri muito, depois fiquei de boa e tava totalmente focado e dedicado nos meus planos. Academia 5x na semana, estudando todo dia, saindo com meus amigos, mas um dia acabei encontrando ela(cidade pequena) e todo esse sofrimento despertou em mim,.
4° - Ano que vem vou morar sozinho em uma cidade completamente diferente e não sei se vou dar conta depois de tudo isso e de não ter ninguém pra poder contar enquanto estiver lá
Tendo em vista todos esses problemas que tô enfrentando, pensar nos problemas que vou ter que enfrentar ano que vem quando vou ir morar sozinho em uma cidade diferente, cursar faculdade, além de todo o sofrimento causado pelo término e o medo de não encontrar alguém tão legal quanto ela pra ficar comigo + o ciúmes envolvido, um pensamento suicida vem na minha cabeça toda hora. To sentado e de repente eu lembro de tudo e vem uma vontade de pegar uma corda e simplesmente me pendurar ou sei lá, achar um jeito pra acabar com esse sofrimento. Como não tenho ninguém pra conversar ou desabafar, decidi escrever isso aqui. Obrigado a todos que responderem
submitted by LucasSkudy to desabafos [link] [comments]


2020.11.15 03:34 Nogoodukr Perdi o emprego pq não sou gay, nem hetero.

Como assim você não quer ficar com ela? Só pode ser gay! Alguns homens já passaram por isso e sabem como é uma situação nada ver com nada. Bem, eu não passei por isso apenas uma vez ou duas, foram várias e cada uma com sua reação peculiar.
A primeira vez que isso me aconteceu ainda estava no ensino médio e, como um adolescente retardado, não soube lidar e acabei sendo pisoteado pelos boatos que começaram a rolar. Até mudei de escola por causa disso. A segunda vez foi na faculdade, não quis ficar com o estereótipo de odonto e acabei na boca das fofoqueiras. Já estava para dropar do curso, uni o útil ao desagradável e vazei.
Como não estou aqui para falar de todas as vezes que essa merda me aconteceu vou pular para o presente, ou melhor, para o passado pq faz dois dias que isso aconteceu. Praticamente aconteceu a mesma merda como anteriormente. Só que dessa vez eu talvez tenha passado um pouco dos limites, não; certamente eu ultrapassei a linha do bom-senso.
Mesma história, mulher bonita levou um fora e saiu espalhando no trabalho que eu era gay. No fundo isso não importa, sabe? Ser gay ou não não vai interferir na minha vida, ou pelos menos não interferiu nesses 25 anos. Mas, pq a pessoa sente necessidade de sair falando mentiras para os outros? Eu certamente não me vejo fazendo uma merda dessa. É patético.
Bem, conversas começaram a rolar, perguntas indecentes também. E eu me deixei levar e acabei explodindo. Esculachei a criatura de tanto quanto é jeito e fiz questão que todos ouvissem — e talvez esse tenha sido o pior de todos os vacilos. No fim, como esperado, ela incorporou o papel de vítima e eu fui desligado da empresa.
Não sei se me sinto bem ou mal por isso. Mas sei que não foi certo pq falei umas coisas totalmente desnecessárias. Mas enfim, espero que esse ser esdrúxulo não volte a fazer isso com outrem. E isso me conforta. Fiz errado? Com certeza! Me arrependo? Nem um pouco! Faria de novo? Depende do dia.
E para deixar claro — senão ficou —, não estou de nenhuma forma tentando colocar que "toda mulher bonita não sabe levar não", isso é apenas um desabafo das merdas relacionadas que aconteceram na minha vida. E se você é pessoa desse tipo, desejo que você tenha uma diarreia braba, para pensar bastante nas suas atitudes enquanto passa o dia no seu trono de bosta. Boa noite.
submitted by Nogoodukr to desabafos [link] [comments]


2020.11.13 20:44 altovaliriano Por que Hizdahr Zo Loraq insiste em não ser chamado de "Vossa Graça"?

Um dos detalhes irritantes de Meereen é o problema dos pronomes de tratamento de reis.
Muitos fãs destacam o quanto os meereeneses são pretensiosos ao querer serem tratados por títulos dos mais diversos em vez de contentarem-se com a (suposta) simplicidade por trás do título "Vossa Graça". Em um mesmo diálogo, Hizdahr Zo Loraq chega a corrigir Barristan Selmy por duas vezes:
Nenhuma, Vossa Graça.
Hizdahr suspirou.
Vossa Magnificência, por favor. Embora, a esta hora, “Vossa Sonolência” fosse mais adequado.
[...]
Sonhos podem mentir, Vossa Graça.
– “Vosso Iluminado” serve. O que o traz aqui a esta hora, sor? Algum problema na cidade?
(ADWD, O derrubador de reis)
O modo como a correção soa pretensiosa é notada por Barristan em seus diálogos internos já em capítulos anteriores:
Estou às ordens de Sua Graça.
Não é Graça – o senescal reclamou. – Esse tipo de tratamento é westerosi. Sua Magnificência, Seu Iluminado, Sua Veneração.
Sua Vaidade cairia melhor.
(ADWD, O guarda da rainha)
E Barristan somente chama Hizdahr por outro pronome de tratamento cinicamente, quando dá início a seu golpe de estado, demonstrando o quanto a (suposta) megalomania daquilo o irritava:
Para fazer uma pergunta. Magnificência, você é a Harpia?
A taça de vinho de Hizdahr escorregou de seus dedos, caiu no tapete, rolou.
[...]
O veneno foi obra sua, Magnificência?
O Rei Hizdahr deu uns passos para trás.
(ADWD, O derrubador de reis)
Entretanto, alguns leitores passaram a suspeitar que as correções dos meereeneses poderiam não fruto de mera vaidade, mas soarem de alguma forma ofensivas à sua cultura. Este pensamento pode parecer estranho na primeira primeira análise, especialmente quando dentro da própria cultura da cidade existem mulheres de grande status que carregam este título. Mas é justamente aí que os leitores passaram a enxergar a possibilidade do insulto.

A questão das graças vermelhas

Nós sabemos que as Graças de Meereen são mulheres que trabalham no Templo das Graças, uma instituição religiosa da Cidade (que não sabemos que Deuses cultuam, inclusive). Também sabemos que as Graças são divididas em 7 cores: Verde, Azul, Vermelho, Branco, Rosa, Dourado e Púrpura. Não conhecemos a função de todas, mas a Verde é a alta sacerdotisa, as azuis são curandeiras e as vermelhas são as prostitutas do templo.
Daí por que alguns leitores começaram a acreditar que, quando um monarca é chamado de Vossa Graça em Meereen, ele estaria implicitamente associado a uma ordem que inclui prostitutas. Em um post no reddit, um usuário até cogitou que o pronome de tratamento pudesse ser equivalente "Vossa Prostituição Real" em Meereen.
É um a especulação tentadora, pois explicaria a razão de tanta irritação e correção por parte de Hizdahr e Reznak, bem como nos faria dar algumas risadas durante a releitura vendo Barristan chamando de Hizdahr de puta sem saber. Como diz o título do post, seria "um dos melhores mal entendidos da saga".
Entretanto, este não parece ser o caso. Afinal, não seria de se esperar que Hizdahr reagisse com mais ardor se estivesse, segundo os padrões de Meereen, sendo publicamente chamado de puta? Ou então algum aliado não avisaria a Barristan que estava repetidamente chamando Daenerys de puta na frente de toda Meereen, e que isso poderia pegar muito mal?
Diante disto, por mais engraçado que sejam essas especulações, não acredito que o insulto seja uma referência à prostituição.

Separação entre o Estado e a Graça

Outros leitores alegam que o problema do título “Vossa Graça” é que ele teria conotação religiosa. Chamar o chefe de estado por este título seria uma gafe em dois sentidos. Tanto negaria o título a quem era devido (a Graça Verde, a verdadeira “Vossa Graça”), quanto seria um não reconhecimento do poder político do rei (que estaria sendo chamado de sacerdote).
Ou seja, seria o mesmo que um meereenês chamar o rei de Westeros repetidamente de “Alto Septão”. Seria uma gafe quase sem sentido, que irritaria se ocorresse com frequência e que pareceria uma espécie de provocação dos estrangeiros. Afinal, se existe um líder religioso com título de “Septão” por qual outra razão que não fosse desdém os estrangeiros não evitariam chamar repetidamente o rei de “Alto Septão”?
Pois bem, é o que estes leitores sugerem que os westerosis em Meereen estão fazendo. Todos sabem que Graça é um título religioso e ainda assim estão chamando o Rei de Meereen, Hizdahr Zo Loraq, de “Vossa Graça”. Eles até aceitam que os westerosis se refiram assim a sua rainha invasora estrangeira, que eles não gostam, mas eles se irritariam com a teimosia que os estrangeiros tem em usar o pronome errado para seu rei ghiscari.
Eu acho estas especulações bons palpites. Porém, a análise do próprio livro cria algumas contradições.
A primeira dela é que Hizdahr zo Loraq usa Vossa Graça para se referir a Daenerys em vários momentos:
Ele fez uma profunda reverência.
Vossa Graça, temo ser obrigado a isso.
[…]
Vossa Iluminada tem sete deuses, então talvez olhe para meu sétimo apelo com complacência. Hoje não vim sozinho. Ouvirá meus amigos? São sete também. – Ele os apresentou um a um. – [...]. Eles vieram unir suas vozes à minha e pedir que Vossa Graça reabra as arenas de luta.
(ADWD, Daenerys II)
Raznak Mo Raznak em um momento a chama assim também:
Os libertos trabalham muito mais barato, Magnificência – disse Reznak. – Alguns se intitulam artífices ou até mestres, títulos que pertencem por direito somente aos artesãos das guildas. Os escultores e pedreiros respeitosamente pedem a Vossa Graça que garanta seus antigos direitos e costumes.
(ADWD, Daenerys II)
E um primo da Graça Verde também chama Daenerys assim:
Grazdan, ela havia sido avisada, era um primo da Graça Verde, cujo apoio ela julgava inestimável.
[…]
Qual era o nome da antiga tecelã?
A escrava? – Grazdan deslocou seu peso de uma perna para a outra, franzindo a testa. – Ela se chamava... Elza, creio eu. Ou Ella. Faz seis anos que morreu. Já tive tantos escravos, Vossa Graça.
(ADWD, Daenerys I)
Entretanto, todas essas deferências podem ser explicadas pelo simples fato de que os homens citados acima estavam tentando bajular Daenerys.
Hizdahr queria que a rainha reabrisse as arenas de luta e na ocasião citada acima ele chega a trazer os lutadores para fazer coro a ela.
Reznak está advogando pelos privilégios das guildas de artesãos contra os libertos da rainha, então usar o título em meio a diversos outros parece uma forma de bajulá-la sem trair muito seus príncipios.
Grazdan muito provavelmente foi instruído a falar aquele título para que Daenerys não o visse como um bárbaro insolente e com isso ficasse inclinada a lhe dar uma sentença favorável, contrária às tecelãs que ela mesma libertou.
Porém, o maior problema é que a própria Galazza Galare, a própria Grace Verde, chama Daenerys de “Vossa Graça” em um momento de não bajulação, quando já havia convencido a rainha a se casar com Hizdahr:
O que meu futuro marido pensa disso? – perguntou para a Graça Verde. – O que ele acha de mim?
Vossa Graça só precisa perguntar para ele. O nobre Hizdahr aguarda lá embaixo. Envie alguém até lá, se lhe agradar.
(ADWD, Daenerys IV)
Esta passagem põe em cheque as especulações de que o título seria religioso. Galazza vinha durante todo o diálogo se referindo a Daenerys como “Vossa Iluminada” e a chama de “Vossa Magnificência” depois.
Portanto, parece que o título não interefere em sua autoridade religiosa.

"As Graças são escravas"

Há quem defenda que o título de Vossa Graça era ofensivo a Hizdahr porque as servas do Templo das Graças eram escravas.
Contudo, não há qualquer fundamento em texto que corrobore isso.

Meu palpite

Eu acredito que parte da gafe em chamar Hizdahr de “Vossa Graça” realmente venha do fato de que as Graças sejam uma ordem religiosa e que haja prostitutas nela. Mas outro elemento da gafe seria que as Graças são todas mulheres. Po essa razão que ninguém vê problema algum em chamar Daenerys assim, mas fica irritado quando falam assim de Hizdahr.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.11.13 20:06 Dangerous-Pumpkin190 Eu fazia programa

Eu li algumas coisas sobre isso em outra rede social hoje e queria muito desabafar mas não podia fazer isso com a minha cara por conta do estigma.
Eu venho de uma familia bastante pobre e sempre fui muito inteligente, disso me venderam a ideia que se eu estudasse bastante, entrasse em uma boa faculdade ia conseguir fazer o que quisesse. Passei direto de uma escola pública da periferia para um curso extremamente concorrido na USP.
Nesse momento, eu acreditei de verdade que a minha vida ia melhorar mas a faculdade era muito difícil. Desde o primeiro semestre, tinham professores passando leituras complexas em inglês, eu sabia um pouco do inglês da escola e de ser curiosa na internet, custei conseguir acompanhar... quando estava mais confortável, começaram alguns textos em francês.
A assistência estudantil me ajudou sobreviver mas é extremamente difícil, a falta de conexões e as longas horas gastas no transporte público sempre me colocou abaixo dos meus colegas. Foi muito difícil arranjar um estágio, depois foi muito difícil me manter no estágio e faculdade e morar na ZL, mas o dinheiro não dava para pagar um quarto no centro.
Quando eu me formei, arranjei um emprego na área para ganhar uma quantia rídicula. Trabalhar até as 22h era norma, e alguns dias o trabalho se alongava nas madrugadas. Sem hora extra, levando muita bronca de uma patroa histérica. Eu tentava procurar outra coisa mas o setor estava em crise e esse tipo de abuso parece ser bem comum.
Eu tinha 23 anos estava exausta e desiludida com a vida. Via minhas amigas da escola pública que nem tinham estudado e sentia inveja delas, porque minha impressão é que estávamos no mesmo lugar: mau pagas e exploradas, mas que no meu caso eu tinha sido iludida por anos achando que dava para mudar. Elas pelo menos tinham continuado no nosso quadrado e mantido relações significativas. No meu bairro, todo mundo me achava meio metida e na faculdade/emprego eu era uma pobrinha brega tentando se encaixar.
Eu fui ficando muito deprimida, cheguei a considerar me matar porque achava que a vida não tinha muito sentido. Isso fez eu começar a relativizar tudo que eu pensava, até que eu cheguei ao ponto de achar que trabalho sexual era uma boa opção. Pesquisei bastante, entrei em contato com algumas meninas que trabalhavam com isso e acabei entrando numa agência de acompanhantes.
No começo, Eu me sentia muito mal de levar uma vida dupla. Eu tinha muita vergonha de fazer coisas cotidianas, me sentia suja andando entre as "pessoas normais" tipo para ir ver a familia ou mesmo ir ao mercado.
No trabalho em si, eu tive muita sorte. Um adendo importante aqui que eu sou uma mulher bem padrão, tinha condição de escolher essa posição e me informar o melhor possível; isso é muito longe da realidade da maioria das prostitutas.
Com o tempo, eu fui até aprendendo a criar afeição por alguns clientes e comecei a ter alguns clientes fixos. Conseguia pagar minhas contas, guardar dinheiro, comprar as coisas que eu queria – eu nunca quis luxo, mas queria poder ir no supermercado e comprar o que eu quisesse, sabe? Não precisar ficar fazendo conta de moedinha e deixando coisa no caixa.
O medo da minha familia/amigos descobrir persistia, e persiste até hoje mesmo eu tendo largado a vida. Isso era definitivamente a pior parte.
Como eu falava inglês (obrigado professores cuzões da USP), pegava muito cliente gringo viajando. Eram meus preferidos pq eles contratavam tipo a semana inteira, me levavam para passear e tals. Nessas, acabei conhecendo meu marido.
Ele veio ao Brasil para trabalho, me contratou por 10 dias. A gente se deu muito bem, ele acabou depois de uns meses pro Brasil meio que só para ficar comigo de novo, e acabou perguntando se eu tinha interesse de me casar e me mudar pro país dele.
Não foi nada romântico, ele foi bem pragmático sobre querer uma esposa que fosse mais "submissa" e que era difícil achar alguém do país dele que quisesse a mesma coisa, que ele não tinha muita paciência para romance e essas coisas. Ele já tinha, inclusive, tentado um acordo semelhante com uma garota ucraniana mas não deu muito certo porque ela queria muito luxo.
Foi um acordo, parecia arriscado mas eu sabia que a vida de GP tinha um prazo de validade e eu tava meio desiludida de tudo por aqui e aceitei. Não me orgulho, mas não me arrependo. Fingi para todo mundo que a gente se conheceu de uma maneira normal, ele conheceu minha familia (que adoram ele) e eu vim para cá.
Meu marido é muito bom para mim. Ele trabalha numa área correlata a minha de formação, ele me ajudou a arranjar um emprego e aqui o mercado é completamente diferente. Eu trabalho meio período e meu salário é todo meu, mas eu cuido da casa sozinha (o que seria normal no Brasil, mas aqui não é). A gente decidiu ter filhos só depois de eu ter a residência permanente para, caso a gente se separe, eu consiga ficar aqui sem problemas. Ele nunca jogou na minha cara o que eu fazia, me apresentou para família e amigos e me estimula a ter amigos e hobbies aqui.
Eu me sinto muito feliz, a minha vida é confortável e eu gosto de ter um relacionamento onde tudo é colocado de maneira clara.
O que me fez querer escrever isso é que sempre que eu vejo discussões sobre trabalho sexual as pessoas colocam um estigma gigante nisso como algo sujo e corrupto. Não nego que existe um lado feio para boa parte das meninas envolvidas, mas não é tudo assim e a gente devia quebrar esse discurso moralista e pronto exatamente para conquistar uma qualidade melhor de trabalho para todas.
Nessa discussão que eu li, eu vi meninas falando como todos os homens que recorrem a esse tipo de serviço são depravados e nojentos, e eu nunca tive nenhum cliente que me pedisse nada fora do convencional. Muitos eram só pessoas carentes e ocupadas. Eu passei por mais abuso (incluindo assédio sexual) num trabalho convencional de escritório e na Universidade do que como GP.
Não indicaria a carreira para ninguém, exceto como algo pontual, porque não é algo sustentável a longo prazo... mas para mim, foi algo muito bom e me ajudou a encaminhar minha vida para um lugar de paz.
Poucas pessoas sabem sobre isso e sobre a verdade do meu casamento, e mesmo tendo selecionado bem quem eu contei, já tive que ouvir muitas coisas moralistas e julgadoras. Inclusive por ter atendido muitos gringos e ter me casado com um, tem um certo estereótipo que eles curtem coisas sujas tipo escatalogia, e eu nunca passei por isso.
Outra coisa, quando eu me mudei para cá, o Estado te paga um curso da língua local e outro sobre cultura. Tinham outras brasileiras em situações similares, algumas assumidamente e outras que escondem ou talvez não eram "profissionais". E tem um pouco de tudo... tem gente feliz, gente com relacionamentos horríveis, gente que quer dar o golpe e conseguir residência, umas que sequer falam outra língua e não sei como se comunicam com o marido. Não quero que ninguém leia isso como uma chamada para fazerem o mesmo que eu, só queria tirar isso do meu coração hoje depois do tópico horrível que li em outro site.
submitted by Dangerous-Pumpkin190 to desabafos [link] [comments]


2020.11.12 13:49 srdusky1605 Não tenho atração por homem, mas adoro chupar rola (r/desabafo)

Não tenho atração por homem, mas adoro chupar rola
Não digo que eu não tenho atração por homem por um suposto medo de me assumir. Até porque tô cagando pro nome que as pessoas acreditam que melhor rotula a minha sexualidade. Mas de fato não me imagino, nem tenho vontado de experimentar, beijar um homem, ou tendo intimidade, ou fazendo penetração. Gosto de ter essas experiências com mulheres, mas não com homens. Também não tenho tesão no corpo masculino.
Mas eu adoro rola. De todos os tamanhos, formatos. Me imagino pegando em um pau e tendo o prazer de contornar a cabeça com meus dedos, lamber o frênulo, sentir cada centímetro com a minha língua e depois sentir o pau na minha boca. Fico com tesão só de lembrar da sensação carnuda e grande, e o gosto levemente salgado de porra misturado com saliva do primeiro pau que chupei. E me dá ainda mais tesão o cheiro, o gosto e o calor de porra fresca. Simplesmente sou tarado por porra.
Cada milliitro de porra pra mim é o néctar que eu conquistei. É a prova de que eu dei prazer pra alguém, e que eu dei a pessoa a quem o pau pertence um prazer tão grande que ela não pôde evitar gozar. E o cheiro e sabor pra mim é sabor de sexo mais destilado possível. E eu gosto de aproveitar cada sensação que ela pode oferecer. Limpar ou engolir porra é um desperdício. Eu gosto de aproveitar cada segundo com ela na minha boca, sem engolir nem cuspir. Próxima vez quero cobrir minha cara com porra, me inundar de cheiro de sêmen até ela secar, e aí eu vou querer mais, até me cansar.
Mas é difícil arranjar homem que tope. Geralmente os caras querem algo mais além de serem chupados, e eu não topo. Também não gosto de ser chupado de volta. Idealmente, pra cada rola que eu chupasse, o cara estaria de trás de uma parede, como num gloryhole. E faz tempo que eu não chupo rola (mais de um ano), e ultimamente tô morrendo de vontade de chupar outra rola.
submitted by srdusky1605 to DiretoDoZapZap [link] [comments]


2020.11.09 17:53 Electronic_Address Acho que eu deveria parar de se preocupar com minha Ex (drogas e problemas psicológicos)

Faz tempo que quero escrever esse desabafo mas não encontro as palavras certas, sempre desisto de escrever no meio.
Alerta de que o texto pode ser grande.
Sim, eu ainda mantenho contato com a ex por vários motivos. A gente meio que se tornou melhores amigos, mas meio que só virtualmente já que nunca mais nos encontramos pessoalmente. A gente sempre troca segredos e confiamos um no outro. Na verdade eu nunca fui de se abrir pra ninguém, é mais da parte dela que ela me conta coisas "confidenciais", desde um relato que ela tinha perdido o vibrador até a experiência com drogas.
Quando eu comecei a namorar com ela percebi que ela era bem desequilibrada mentalmente (eu também era). A gente meio que tinha os mesmos problemas: Depressão, ansiedade, baixa alto estima, insegurança e por aí vai. Na TPM os sentimentos dela afloram ainda mais. Apesar de tudo isso nossa relação era saudável, nenhum dos 2 era ciumento, nem fazia chantagem emocional. A gente praticamente nunca se xingou. Na verdade a gente se ajudou a superar nossos problemas.
O término veio por pedido dela. Era difícil eu sair de casa pra qualquer coisa e a gente morava distante então a relação ficou complicada. Foi no ápice da pandemia do Covid-19 quando tudo estava em Lockdown e eu me neguei a sair pra encontrar ela (tem pessoas do grupo de risco na minha casa) daí ela terminou.
Não demorou pra ela arranjar outro cara mas esse "namoro" novo dela durou só 3 meses. Interpretei isso como uma extrema carência emocional que ela tem. Depois desse término dela ela me ligou bêbada de madrugada (eu sempre achei bem merda ela beber mesmo sendo menor de idade, e ela não bebia latinhas de cerveja, ela bebia LITROS de Vodka). Uma vez chamei atenção dela quanto a isso e ela disse " eu não bebo muito não, só bebo quando tô bem mal" e eu respondi "pior ainda".
A gente foi ficando mais próximo novamente (eu tinha parado de falar com ela por respeito ao novo relacionamento dela). Relatos de como ela se sentia inútil e de como ela queria morrer eram bem frequentes. Eu já tinha recomendado ela procurar um psicólogo, ela disse que ia falar com a mãe dela mas parece que isso não aconteceu. Não demorou muito pra ela vir com uns papo estranho de "já fumou maconha? Vou experimentar semana que vem".
De cara já fiquei bem preocupado com que tipos de pessoas ela ia usar, por que tenho muito medo de ela usar drogas com amigos homens e eles tentarem abusar dela (vocês sabem do que eu tô falando). Eu não falei "cuidado pra não abusarem de ti", eu só falei "cuidado com quem tu usa". Também falei pra ela ter cuidado pra não viciar. Eu sei que a chance de viciar em maconha é bem menor que a do álcool mas sabia também que devido ao emocional dela era bem mais sucetivel ela recorrer a droga como válvula de escape (assim como ela fazia com o álcool) e acabar se viciando.
Até aí pensei "tudo bem, ela vai usar com pessoas que ela confia". Também não acho maconha muito preocupante tendo em vista que tenho primos que usam de forma recreativa e eles não são viciados. Raramente recorrem a maconha pra se divertir e que eu saiba não usam outras drogas.
Depois de um tempo percebi que ela passou um dia inteiro sem me mandar mensagem. Achei bem estranho mas não chamei ela. De noite ela me mandou uns áudios bem estranhos que não dava pra entender nada. Ela falava bem baixinho e a fala dela tava toda enrolada era realmente impossível entender o que ela falava. Eu perguntei "o que?" E ela digitou "deixa pra lá" e sumiu.
No outro dia ela me disse que tinha experimentado o LSD e que ficou o dia todo sobre o efeito. Ela disse que tinha se sentido muito bem e que sorria de tudo no dia anterior mas que hj ela acordou se sentindo uma merda. Expliquei o funcionando do LSD e falei que devido a bomba de Seretonina que ela recebe ela acorda no outro dia se sentindo merda pois ela tá zerada de Seretonina.
A esse ponto eu já me preocupei um pouco, ela tava migrando pra outras drogas. Depois que eu expliquei sobre o LSD ela me prometeu que nunca mais usaria drogas. A mãe dela tava chegando de viagem então eu me senti aliviado pq eu acho que ela não usaria drogas em casa com a mãe lá.
Tudo começou a se normalizar e eu realmente achei que ela tinha largado as drogas, até chegar os dias recentes.
A gente tava tendo uma conversa normal até que eu notei que ela tava usando uma metadinha (famoso couple ou fotinhas combinado) que a gente usava bastante como foto de perfil quando a gente namorava. Perguntei bem despretensiosamente "hmmm tá apaixonadinha é? Usando metadinha" e ela me respondeu "não ele é só amigo" e me mandou um Print da conversa (que eu não pedi) que ela falava pra ele "usa essa foto aqui gay".
O que ela não se ligou, mas que foi a primeira coisa que eu reparei, mesmo antes das fotos foi o contexto da conversa. Dizia assim:
Amigo: tem mais chances de dar overdose Ela: tô ligada, deve ser bom Amigo: é Ela: pega, usa essa foto aqui gay
Eu falei: tão falando sobre dorgas 😳. Ela me respondeu "eita porraaaaaa". A gente conversou um pouco sobre e eu falei "cuidado".
Conversas sobre como ela se sente inútil e descartável se tornaram bem mais frequentes. Ela me contou até sobre a tentativa de suicídio dela. "Eu tentei me enforcar" - respondi "como?" - ela "com uma cordinha". Eu falei "tá doida porra? Se tu morrer eu vou ficar muito triste, tua mãe também." Eu sei que ela gosta muito de mim e da mãe, eu sempre tento fazer ela se sentir amada e querida quando ela fala que quer se matar ou quando ela se sente inútil e descartável.
Hoje eu mandei um bom dia e ela não me respondeu.
Quando deu meio dia, já quase uma hora ela me mandou um bom dia bem eufórico
"Bom diaaaaaaa Eu tô viva manoooooo Eu te amooooooo Eu tô vivaaaaaaaaa"
Ela me disse que tinha usado muita droga ontem. Me falou, falou e não explicou nada mas disse que ia me contar tudo (porra ela realmente confia em mim). Me disse que ainda tava mal e sumiu de novo.
Ela me disse que tinha usado 2 balas (ecstasy), LSD e "outros bagulhos lá". Ótimo era tudo que eu precisava: agora ela também tá no ecstasy e tá usando "outros bagulhos lá". EU NÃO SEI NEM MAIS QUE PORRA QUE ELA TÁ USANDO!!!
A situação tá ficando fora de controle. A gente já tinha marcado de se rever sábado. A gente vai tomar sorvete, como fazíamos antes. Mas lógico: ela cogitou a ideia de a gente fazer "outro tipo de rolê": dormir na casa dela, usar LSD e ficar loucão. Que ótimo, muito saudável! Nem precisei falar nada ela mesmo mudou de idéia e resolveu ir tomar sorvete mesmo.
Eu nem sei se eu quero mais ver ela. Ela se transformou numa pessoa muito diferente da pessoa que eu me apaixonei. Agora eu tenho que segurar as crises de depressão dela, principalmente depois que ela usa essas porcarias que é quando ela fica pior.
Porra é muita responsabilidade pra mim, ela completou 18 anos esse mês e eu vou fazer 17 ainda semana que vem. Eu sei que é contra as regras do grupo revelar a idade se eu for menor de idade mas isso é pra contextualizar de que de que isso é muito peso pras minhas costas.
Eu sei que eu deveria contar isso pra mãe dela mas como que eu vou falar isso???? Além disso se eu contar a confiança que ela tem comigo vai acabar completamente e isso pode ser ruim pro emocional e psicólogo dela.
Isso tá se tornando um fardo imenso. Toda vez que ela me fala que usou drogas eu me sinto muito merda. Vejo uma pessoa se afundar em depressão e drogas na minha frente e não faço nada. Eu tô simplesmente congelado de medo.
Isso tá me fazendo muito mal, as vezes dá vontade de chorar quando ela me fala essas coisas e eu penso em simplesmente cortar ela da minha vida por que o que era uma relação de amizade saudável entre ex namorados agora é algo que só me puxa pra baixo. Realmente é bem covarde e egoísta deixar ela assim pra trás mas é o que eu sempre fui, sempre fui um COVARDE fugindo dos problemas.
Além disso minha mãe anda falando muito em se mudar de cidade. Uma hora eu vou embora e minha ex não vai me ter mais aqui pra ajudar ela com as merdas que ela faz. Ela precisa saber o que faz sozinha.
Preciso ir cortando nosso laço pouco a pouco. Desaparecer gradualmente até que ela não perceba minha ida.
Se a gente não tivesse insistindo em continuar se falando depois do término isso não estaria acontecendo (não comigo) e eu iria se lembrar dela sempre como a pessoa mais incrível que eu conheci, mas agora... Agora todas as memórias bonitas que eu tinha sobre ela estão desaparecendo por que ela virou outra pessoa.
Obrigado a você que leu até aqui.
submitted by Electronic_Address to desabafos [link] [comments]


2020.11.09 14:24 troafter Eu terminei com ele..

TW: estupro
Eu terminei com meu namorado depois de saber que ele ja foi em garota de programa.
Pois é, talvez muitos considerem um motivo ridículo e tudo mais, porém quando eu soube não conseguia olhar ele da mesma forma. Eu não consigo me relacionar com um homem que eu sei que frequentou, me vem uma aversão.
Durante 1 ano eu almoçava num restaurantezinho simples de bairro, nessa lugar frequentavam várias moças, que, pouco depois eu soube que eram GPS que almoçavam ali também, elas atendiam os clientes no ""turno do dia"". Durante esse tempo eu acabei trocando ideias e fazendo amizade com algumas.
A cada história que elas contavam, eu ficava pensando e ficava muito mal. Uma delas veio do interior com a mãe pra tratar uma doença, elas vieram com 600 reais por que pensaram que iriam ficar 1 mês, porém descobriram que iriam ficar 4, ela não conseguiu emprego e precisava do dinheiro pra não passar fome e essa foi a alternativa desesperada. Outra menina, fugiu do marido abusivo que jurou matar ela, chegou aqui só com a roupa do corpo, não conseguiu emprego, era isso ou morar na rua. A terceira menina era trans, 8 anos procurando emprego, foi expulsa de casa depois que os pais souberam que ela era trans, não tinha dinheiro e a família não queria que ela chegasse perto.
Até hoje eu lembro do dia que as moças estavam alvoroçadas e preocupadas, acontece que uma gp tinha ido com um cliente e sumido. Cerca de alguns dias depois acharam ela no hospital, o cliente que ela atendeu levou-a para um lugar distante, encontrou com outro cara e os dois a estupraram e espancaram, largaram ela em qualquer lugar e foram embora. Essa história me chocou demais, porém, segundo uma das meninas toda vez que uma menina sumia elas ja esperavam desfechos parecidos, era muito triste.
Por conta disso, eu sinto uma certa aversão a homens que pagam GPS, inclusive, meu agora ex. Quando eu via ele, lembrava dessas meninas.
Eu sei que tem vários homens aqui que frequentam e pretendem frequentar e justamente por isso comecei a lembrar muito mais dessas histórias e dessa época.
Também é bem provável que eu seja xingada e tome downvote, mas sinceramente, eu não me importo, só queria tirar isso do peito.
submitted by troafter to desabafos [link] [comments]


2020.11.07 22:51 Better-Penalty2607 Sofri abuso na infância. Isso entortou minha sexualidade.

(H/48) Desde que me entendo por gente tenho sentimentos eróticos por outros homens. Aos 11 anos comecei no vício da pornografia, dentro de casa, encontrando revistas do meu pai. Gostava de homens e de mulheres. Aos 12 um amigo da família se aproximou de mim. Primeiro me senti incomodado com o avanço dele, depois caí na dele e PARECEU muito legal por um tempão. Entre idas e vindas, com grandes intervalos, foram uns 10 anos vendo o cara. Por que não denunciei? Porque eu achava que estava abafando, sendo acolhido, fazendo uma coisa de puro prazer que não traria nenhuma consequência... Mas me dava uma tremenda vergonha. Eu não denunciava o cara porque sabia que o meu filme é que sairia queimado, e achava que ninguém acreditaria em mim. E, no fim, eu achava que seria legal ter mais um encontrozinho... Como um viciado em drogas: "só mais umazinha". Me iniciei no sexo com mulher aos 16 numa "casa de massagem", vieram umas namoradinhas... Mas, ao mesmo tempo, não conseguia escapar da vontade de sair com outros caras. Aos 24 anos dei uma moratória no sexo homo e foquei só em mulheres (exceto na pornografia, que continuava sendo uma praga na minha vida). Assim conheci a mulher que se tornaria minha namorada e, alguns anos depois, minha esposa. O problema é que eu dei uma "relaxada" e voltei a procurar homens. Conheci o circuito de saunas, depois o de cinemas, e foi daí para pior. Hoje parecemos um lindo casal, fazemos um sexo gostoso, e a pornografia diminuiu muito. Mas continuo me sentindo dividido entre ficar com minha esposa e procurar outros homens. Não quero me separar. Gostaria de me livrar de ter excitação por homens.
submitted by Better-Penalty2607 to desabafos [link] [comments]


2020.11.07 15:29 Constant-Overthinker Dois apoiadores de Trump presos por porte ilegal de armas enquanto buscavam entregar cédulas de voto falsas na Filadélfia

Fontes
Two Virginia men arrested with guns outside Pennsylvania Convention Center, where mail-in ballots were being counted. Richmond Times Dispatch.
Report: Armed men arrested in Philadelphia were trying to deliver fake ballots. CNN.
Trechos
Dois homens da Virgínia foram presos na noite de quinta-feira na Filadélfia e acusados ​​de posse ilegal de armas de fogo do lado de fora do Centro de Convenções da Pensilvânia, onde as cédulas de correio estavam sendo contadas. A polícia da Filadélfia identificou os homens como Antonio LaMotta, 61, e Joshua Macias, 42, ambos de Chesapeake.
(Os dois homens) estavam "vindo para entregar um caminhão cheio de cédulas falsas" para a cidade, informou a afiliada da CNN KYW, citando promotores. Mensagens de texto revelam que os homens estavam preocupados com a contagem dos votos no centro de convenções, disseram os promotores, de acordo com o KYW.
A polícia da Filadélfia disse que encontrou os homens na noite de quinta-feira, depois de receber uma denúncia de que pessoas com armas de fogo estavam indo para o Centro de Convenções da Pensilvânia em um caminhão Hummer prata. (...) O centro é um dos locais onde os trabalhadores eleitorais vêm contando os votos da eleição geral de 2020, que inclui a disputa pela presidência.
Adesivos e um chapéu com logotipos do movimento conspiratório QAnon foram encontrados no veículo, disse o promotor público Larry Krasner.
LaMotta e Macias frequentaram comícios de direita na Virgínia e são partidários do presidente Donald Trump. Macias foi cofundador da Vets for Trump, disse Vlad Lemets, o diretor executivo do grupo. LaMotta está listado como embaixador no site da organização. LaMotta é um guarda-costas e contratado de segurança e foi membro do Exército dos EUA, de acordo com um site em seu nome.
Conclusão: Ainda é cedo para afirmar muito, e essa notícia tem que ser investigada melhor (por exemplo, de quantas cédulas estamos falando?). Mas parece que estão sendo capazes de evitar que melem as eleições na Filadélfia, com a polícia fazendo seu papel.
submitted by Constant-Overthinker to brasilivre [link] [comments]


2020.11.04 00:12 Spirally-Boi Cansado de ser culpado por estupro só por ser homem.

Eu sei que a primeira coisa que muitas "feministas" vão fazer ao ler o título é dar um downvote imediato e já vir com um discurso pronto sobre como eu sou um machista opressor e etc. Foda-se, isso precisa ser dito.
E sim, isso foi inspirado nesse caso recente que tá rodando o sub.
Mulheres, vocês acham seriamente que só vocês sofre assédio? Que só vocês são estupradas? Eu posso dizer que já sofri diversos assédios durante a minha vida, e fui vitima de estupro na infância, e sei que não sou nem de longe o único homem que passou por essas coisas.
Aí vocês vêm me dizer que todos nós nos beneficiamos com isso? Me digam COMO eu me beneficiei sendo estuprado. Só quero saber disso, porque sempre tive essa curiosidade.
Além do mais, vocês acham certo culpar homens que, mesmo que não tenham passado pela mesma situação que eu e vários outros homens passamos, mas que ainda assim nunca fizeram nada do tipo contra uma mulher, ou alguém em geral? Sair culpando pessoas ao esmo por um crime hediondo que eles nem cometeram?
Óbvio que eu preciso esclarecer que não são TODAS as mulheres que fazem isso. Vocês sabem quem são. E eu espero que vocês pensem se estão afim de culpar vitimas de estupro por estupro toda vez que vocês dizem que todos nós homens temos "culpa" ou "nos beneficiamos com isso", pois é isso que vocês estão fazendo.
Deem downvote e me xinguem a vontade, eu falei o que precisava ser dito.
EDIT: Imediatamente, duzias de comentários me atacando, exatamente como eu previ. Falem o que quiser, me humilhem a vontade, e depois reflitam como vocês se dizem os donos da moral mas humilham e xingam uma vitima de estupro como o advogado fez com a influencer, e como muitos fazem com vítimas femininas. Vocês não são nada diferentes dessa gente.
E pra quem me deu palavras de apoio e gentileza, muito obrigado. Vocês são o motivo de eu ainda ter fé na humanidade.
submitted by Spirally-Boi to brasil [link] [comments]


2020.11.02 19:31 AntonioMachado [1976] Amílcar Cabral - Nem toda a gente é do Partido

Artigo: https://www.marxists.org/portugues/cabral/ano/mes/95.htm
submitted by AntonioMachado to investigate_this [link] [comments]